Publicado por: Wally | Quinta-feira, Fevereiro 19, 2009

Coraline e o Mundo Secreto

star1star1star1star1

Coraline é uma garota aventureira e aborrecida, em mudança com seus pais para uma casa bem solitária reluzente em seu tom cor de rosa vívido. Mas Coraline, não encontrando atenção com os pais sempre ocupados trabalhando, inesperadamente encontra uma pequena porta que a leva para uma vida paralela, onde seus pais lhe dão atenção. Mas neste lugar todos possuem botões no lugar dos olhos. O mundo secreto encontrado por Coraline começa, então, a tomar ares surpreendentes para a garotinha.

O gênero da animação vem evoluindo drasticamente ao longo dos últimos anos. Deixando para trás a era Disney, as animações chegaram a um patamar onde algumas dificilmente podem ser denominadas como apenas animações. Os limites que rondam este gênero começam, com o tempo, a desaparecer. O desenho animado não é mais só infantil e não está sendo usado apenas para contar fábulas e entreter crianças. Com a ajuda da Pixar e mentes ávidas pela evolução estética e narrativa do gênero como Robert Zemeckis (O Expresso Polar) e Tim Burton (A Noiva Cadáver), o gênero alça vôo e acha um lugar especial e harmonioso entre as crianças e os adultos, rompendo a linha tênue que os separavam. Algumas deixam de vez o caráter infantil e abraçam o teor adulto completamente, como os recentes “Renaissance“, “A Lenda de Beowulf” e “Persépolis“. A nova empreitada do gênero, “Coraline e o Mundo Secreto” equilibra-se entre esse tom adulto e uma abrangência infantil, abraçando uma história madura e sombria que é uma fábula tão encantadora quanto tantas outras da Disney, com o diferencial de ser, consideravelmente, muito mais dark.

Neste aspecto, “Coraline e o Mundo Secreto” assemelha-se muito a “A Noiva Cadáver”, cuja narrativa sombria e fábula bela sobre o amor visava atingir ambos adultos e crianças. E este nova animação dirigida por Henry Selick (Monkeybone – No Limite da Imaginação) utiliza do mesmo estilo criativo de animação usado por Burton, que é o stop-motion, usando bonecos de modelagem e realçando movimentos digitalmente. Não é território novo para Selick, que já havia feito o ótimo “James e o Pêssego Gigante” e o cultuado “O Estranho Mundo de Jack”. Em contraponto à fábula de Tim Burton, porém, o foco aqui não é o amor, mas as relações familiares. Mais especificamente, a entre pais e filhos. E é neste núcleo emocional que se encontra o motriz do filme. Sensível e oportuno, o roteiro imaginativo visa dialogar com ambos pais e crianças acerca das relações regidas entre ambos, seja a falta de comunicação ou o simples distanciamento. Isso traz um toque original e urgente à animação, que foca o desespero de uma garota incomum ao descobrir um mundo paralelo. Sua história traz a tona questões interessantíssimas acerca de valores morais, paternalismo e imaginação em si. O filme possui, portanto, uma mensagem muito boa, revestida por camadas e camadas de obscuridade. Mas enquanto o formato possa ser obscuro, o filme é sempre reluzente em suas implicações.

O filme possui uma desenvoltura notável ao compor a própria personagem principal unindo elementos que podem agradar tanto o público masculino quanto o feminino – e falo aqui da criançada. Coraline é uma menina atípica, rebelde e aventureira. Ela possui também uma oscilação de tom e humor que reflete muito do que se passa no próprio filme. Isso traz, diversamente, certa irregularidade ao trabalho. Mas ele nunca deixa de ser interessante, e nem por isso instigante. A questão é que se trata de um filme beneficiado claramente pela ousadia dos criadores de se distanciar do lugar comum e abraçar corajosamente aspirações sombrias. Mas enquanto o filme possa atingir piques de tensão e “medinho”, ainda não deixa de ser suficientemente imaginativo e visualmente impressionante o bastante para fisgar a atenção de qualquer um, pequeno ou grande. A impressão do filme deixada na audiência é forte e substancial o bastante para enviar qualquer um para fora com o filme ainda preso a cabeça. E ele dificilmente desaparecerá de sua ótica e de sua mente tão cedo.

Só por isso, “Coraline e o Mundo Secreto” já merece uma clara – e forte – recomendação. É bem comum, porém, que haja habituais divergências quanto ao efeito da sessão em crianças de idades e culturas diferentes. Não se trata de um filme que agradará a gregos e troianos. Mas é indubitável que o filme impressiona tanto na estética criativa e hipnotizante, quanto no seu conto macabro e, ainda assim, especialmente tocante. Então até os mais céticos correm o risco de serem envolvidos na aura magicamente peculiar e desconcertante do filme, que te assalta a atenção e te instiga de uma maneira magnífica adentro de um mundo especial e único. Isso não é, afinal das contas, uma das maiores virtudes da sétima arte? O filme pode, então, ter irregularidade e falhas, mas nunca deixa de envolver, hipnotizar e fascinar.

Nota: 8.0

Coraline (2009)
Direção:
Henry Selick
Roteiro: Henry Selick, baseado em livro de Neil Gaiman
Elenco: Dakota Fanning, Teri Hatcher, Jennifer Saunders, Dawn French, Keith David, John Hodgman, Robert Bailey Jr., Ian McShane
(Animação, 100 minutos)


Responses

  1. Particularmente adoro esse tipo de animação que não é totalmente infantil. Como você mesmo disse, a Pixar iniciou essa “onda” de uma excelente forma, sendo seguido por longas de outros estúdios – como “Corpse Bride”, “Monster House”, etc. Por isso mesmo “Coraline” deve me agradar, sem falar que pelas imagens parece ter um visual fantástico!

  2. Estou louco para ver este filme. É provável que assista neste fds. A maioria dos cinéfilos têm achado Coraline maravilhoso e elogiam de forma impressionante sua trilha sonora…

    Abs, Wally!

  3. Eu também pensei muito em “A Noiva Cadáver”, quando assisti a este filme. É notável a influência do Henry Selick naquele longa do Tim Burton. Especialmente no aspecto visual. E é justamente isso o ponto mais alto de “Coraline”. A animação tem algumas cenas que são lindíssimas!!!

    Bom final de semana!

  4. Como te disse eu gostei muito do filme, mas as limitações da direção (no sentido de não apelar para granciosidade) me frustraram um pouco. Ainda assim é uma bela adaptação do conto do Gaiman!

  5. Uma amiga viu e adorou esse filme, fiquei curioso! Ela viu sozinha no cinema, diga que legal! Só ela o filme!

  6. espero ver o filme ainda nesse fds.
    as ótimas referencias só aumentam.
    abs, Wally.

  7. Ahhh Wally! O Matheus me passou o podcast de vcs sobre o Oscar e eu achei brilhante!!!! Parabéns!!!

  8. Quero dar uma conferida, sim, mas não estou com muita ansiedade.
    Abraço!

  9. Ah, e conferi o podcast de vocês no blog do Luciano – excepcional, parabéns! Vocês levam jeito, continuem!

  10. Não sei por que toda vez que vejo alguma coisa sobre o filme, penso em “A Noiva Cadáver” e “O Estranho Mundo de Jack”. Acho que pelo clima. Ainda não vi, mas esporeo porder fazer isso logo. Gosto deste tipo de filme de animação. ;)

  11. To muito curioso para assistir “Coraline”, gosto desse estilo dark de animação: “A Noiva Cadáver” e “O Estranho Mundo de Jack” são filmes que adoro e espero ver logo esse pra saber se vai me agradar também ;)

    Abraços.

  12. Ainda não vi à esse filme. Mas me sinto terrivelmente atraído. Me lembra os filmes darks como Noiva Cadaver e Estranho Mundo de Jack, assim com Yuri comentou. Depois de você ver e aprovar, me deixou com mais vontade. Vou ver se consigo ver.

    Obs: Precisava comentar isso, o traseiro de Marisa Tomei é impossível de não se reconhecer mesmo, rs.

    Abração

  13. A primeira vez que vi pensei que fosse mais um filme do Tim Burton, parece ter todo o estilo dele.

    Mas de qualquer forma já ouvi bons comentários a respeito.

    tá na lsita rss Abraço!!!

  14. Acabei de chegar do cinema e achei um absurdo um filme desse ser classificação livre, minha filha tem 5 anos e detestou o filme achou muito assustador, ela é uma criança que sabe dividir bem o imaginário do real, mas com certeza muitas outras crianças não vão durmir…teria que ser para crianças a partir de 10 anos.

  15. É a melhor animação de todos os tempos! O clima sombrio, as sequências de ação, a magia, o tom macabro a partir da metade do filme é tudo perfeito! A parte técnica do filme é impressionante! Meio peculiar, macabro e divertido! Nota 10!
    Também achei que devia ser para acima de 10 anos. Tem umas partes assustadoras, mas a culpa é de quem faz a lassificação indicativa. Como é que pode Bob esponja ser 10 anos e Coraline ser livre? Muitas crianças pequenas devem se assustar, mas os adultos, adolescentes e crianças de idade mais elevada irão amar se souberem interpretar bem o filme!

  16. Peguei o livro na biblioteca da minha escola, o livro e muito bom vc se envolve parece q vc ta la dentro junto com ela nunca vi o filme mais estou tentando baixar pela net, espero q consiga estou doida para ver o filme o livro tem 155 paginas procurem ler ele e muito bom msm :*)

  17. Gente, eu tenho 30 anos e fiquei com medo, rs.
    Não gosto de filmes no estilo Noiva Cadáver, acho tudo muito escuro e musical demais, já Coraline é vibrante, os cenários são lindamente compostos, sem falar na trilha sonora que realmente é sensacional. Sem dúvida entrou pra lista dos meus preferidos.


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Categorias

%d bloggers like this: