Publicado por: Wally | Quarta-feira, Outubro 22, 2008

Questionário Cinematográfico

Há um mês, o inspirado Anderson publicou no seu blog um ótimo questionário que o fazia responder inúmeras questões divertidas sobre a sétima arte. E, há pouco tempo, Alex fez o mesmo. Quero continuar essa corrente publicando aqui meu próprio questionário, apenas para validarmos a diversidade dessa blogosfera. Vamós lá:

Qual sua cena musical favorita em um filme?
Muito difícil. O filme tem que ser musical? Precisa ser cantado pelo elenco ou basta ter um fundo musical? Dificultou muito na hora de realizar essa escolha. Pensei imediatamente na clássica e perfeita “Cantando na Chuva”, ou em inúmeras belas de “Moulin  Rouge!”. Para me livrar da tarefa de escolher “a melhor”, e sair do lugar comum, escolhi essa que deve ser desconhecida por grande parte dos blogueiros e que merece ser descoberta, assim como o filme. É contagiante, inspirada, divertidíssima e apaixonante, além de hilária! Fico, portanto, com “O Balconista 2” e a seqüência musical de dança ao som de “ABC” dos Jackson 5. Não a melhor mas, atualmente, minha escolhida. Veja abaixo:

Quem, Ray Milland ou Gene Andrews? Eu preciso ficar com Ray Milland aqui, mas conheço pouco de ambos e fui mais pela filmografia mesmo.

Qual seu filme favorito de Sidney Lumet? Sem hesitar – “12 Homens e uma Sentença”. Quantos diálogos impecáveis, quantas atuações maravilhosas! E que direção tensa, íntima e desafiadora! Um grande filme sobre o quanto o ser humano pode vir a ser perigosamente medíocre.

Qual foi a maior surpresa do verão americano? O melhor foi incontestávelmente “Batman – O Cavaleiro das Trevas”, mas eu não dava nada por “Homem de Ferro”, me surpreendi. Portanto, foi a grande surpresa.

Quem, Gene Tierney ou Rita Hayworth? Escolho Rita Hayworth pela beleza e por causa de, claro, “Um Sonho de Liberdade”.

Qual foi o último filme que viu no DVD e no Cinema? Vi por último em DVD o completamente descartável “O Melhor Amigo da Noiva” e, nos cinemas, conferi da última vez “Hellboy II – O Exército Dourado”, a ótima aventura de Guillermo del Toro.

Qual a produção que você preferiria ver o filme prometido pelo pôster do que aquele que foi realmente feito? A última decepção da qual consigo me lembrar foi a de “Premonições”, que possuía este cartaz belíssimo com as árvores formando o rosto de Sandra Bullock. A originalidade do conceitualismo e a beleza do arranjo não coincidiram com o filme, que é uma bagunça. Clique aqui e veja a ampliação dela.

Quem, Chow Yun-Fat ou Tony Leung? Claro, “Tony Leung”, e não precisa ver tantos filmes assim para perceber que ele é muito mais expressivo e ambicioso como ator que Yun-Fat.

Qual foi o filme mais pretensioso? De longe, aquela merda de uma enganação chamada de “O Segredo”. Mais manipulador, pretensioso, tolo e hipócrita, impossível. Aquelas tais “pedrinhas preciosas” ainda me matam de tanto rir…

Qual filme que melhor representa você, aquele que você recomendaria a um desconhecido e que de certa forma afirma perfeitamente “Esse sou eu”? Eu diria para a pessoa procurar e tentar me encontrar em “Magnólia”, mas se nem eu sei quem sou deles, duvido que adivinharão. Quem chutar, porém, um pouco de todos, terá sido certeiro. Me indentifiquei profundamente com esse filme. “Wise Up…”

Quem, Marlene Dietrich ou Greta Garbo? Conheço muito mais sobre a pessoa de Greta Garbo, portanto, vai ela e seu repertório!

Qual a melhor guloseima para comer no cinema? Odeio barulhos de sacos de pipoca quando tento apreciar um filme, mas não consigo resistir à uma pipoca grande, recheada com toneladas de manteiga e, ao lado, uma coca-cola gigante.

Qual estrela de cinema atual que poderia estar situada perfeitamente no “star system” da Hollywood clássica? Pela beleza clássica, o talento formidável e a ecleticidade fenômenal, Kate Winslet.

Fitzcarralado, sim ou não? Por enquanto, nêutro. Mas assim que eu conferi-lo…

Você vai abrir um cinema que vai exibir só filmes antigos ou clássicos. Qual o trio de filmes da maratona de abertura? Três filmes. Clássicos. Obras-primas. Unidos. “O Poderoso Chefão”, “O Poderoso Chefão, Parte II”, “O Poderoso Chefão, Parte III”, a saga perfeita.

Qual o mais impressionante “debut” de um ator ou atriz? Ainda me pego com o queixo caído e com milhões de calafrios ao observar o talento formidável de Haley Joel Osment em “O Sexto Sentido”.

Qual a maior decepção do verão americano 2008? Shyamalan é venerável e, gostei do filme um pouquinho mas, convenhamos, “Fim dos Tempos” foi uma grande decepção, talvez a maior do ano em sí.

Quem, Michelle Yeoh ou Maggie Cheung? Pelas habilidades incríveis, Michelle Yeoh.

Qual seria o indicado 2008 para a Academia dos Superestimados? Aquele que venceu as quatro categorias principais na última edição. “Onde os Fracos Não Têm Vez” é um filme magnífico. Amei mesmo, tudo neste filme. Mas senti que foi mais correção pelo passado (“Fargo”, alguém?) e indo na onda da crítica que caiu de quatro pelo filme. E, claro, por estar concorrendo com “Desejo e Reparação” e, principalmente, o fenômenal “Sangue Negro”, que saíram com muito menos do que mereciam.

Qual seria o indicado 2008 para a Academia dos Subestimados? Sem pensar duas vezes, “Cegueira”. Pode não ser o Meirelles de “Cidade de Deus” ou talvez nem de “O Jardineiro Fiel”, mas um filme tão poderoso, importante e intenso como este cair na desgraça de uma crítica fria e ignorante às suas fortes qualidades é muito triste. E, pode ter certeza que não veremos nem o pio de “Cegueira” na noite do Oscar. Se bem que poderíam lembrar ao menos da soberba Julianne Moore…

Antonioni disse uma vez “Eu comecei a tomar liberdades há muito tempo atrás; hoje, é prática normal para os diretores ignorarem as regras”. Qual diretor atual mais criativamente quebra as regras? O que é quebrar as regras em 2008? É difícil definir um único cineasta, aquele que está sempre indo contra a maré, mas eu acho que ficaria com Quentin Tarantino, que nunca deixa nem de reinventar o cinema e nem reviver o cinema esquecido. É a prova de um diretor fantástico. Porém, quebrar as regras, em 2008, tem se tornado um fato para poucos e, quando quebram, o resultado pode ser tão magnífico diante de nossos olhos cansados das regras, que ficamos de quatro pelo filme. Que assisti neste ano, destaco o excepcional “Não Estou Lá” e o subestimado, além de incompreendido “Southland Tales”.

Qual o filme a ser lançado ainda em 2008 que você aguarda mais ansiosamente? Por que? Bem, vai ser um paraíso este ano para mim (alias, 2009 né, ja que no Brasil é tudo atrasado). Chegam dois filmes que possuem cineastas que fizeram os meus dois filmes preferidos de todos os tempos. “Revolutionary Road” é de Sam Mendes, o gênio de “Beleza Americana” e, o roteiro pode não ser de Alan Ball, mas tudo promete obra-prima, dos atores ao trailer. Segundo, é “Synecdoche, New York”, não só roteirizado por Charlie Kaufman, o cara brilhante do roteiro de “Brilho Eterno de uma Mente Sem Lembranças”, mas dirigido por ele também.

Qual diretor já falecido você gostaria de ressuscitar para que ele pudesse fazer mais um filme? Acho que a resposta aqui é bem típica. Pode ir para dois lados. Afinal, existem poucos diretores dos quais nos pegamos pensando “o que ele poderia fazer hoje?” e, já que faz poucos anos que Kubrick bateu as botas, escolho, obviamente, Alfred Hitchcock, que teria muito a oferecer, tanto com sua arrogância, sua prepotência e, claro, sua genialidade absurda como cineasta.

Qual foi sua primeira ‘queda’ por uma estrela de cinema? Vamos declarar o óbvio: quem foi que resistiu a danada cruzada de pernas de Sharon Stone em “Instinto Selvagem”? Acho que nem as garotas se safaram desta.

Transformando a brincadeira em MEME, eu dico ela para:
Kamila, Matheus e Vinícius


Responses

  1. Excelentes respostas, Wally!
    Concordo com quase todas, menos com a de Onde os Fracos Não Têm Vez. Acho o filme magnífico!
    As minhas respostas seriam diferentes, mas as suas ficaram perfeitas!

    Beijocas

  2. Wally, nao conhecia “O Balconista 2”, acredita? Tb quero muito ver “Revolutionary Road”, mas apesar de amar Kate Winslet, eu acho q ela dificilmente se daria bem na Hollywood do star system, na qual as estrelas tinham q posar de bonitas e fazer mais ou menos o mesmo tipo de papel filme apos filme. Nem a beleza dela (ela eh lindissima, diga-se de passagem) seria pareo pra aquela epoca, eu acho. Falando nisso, a Gene Tierney eh belissima, ja viu fotos dela? A Rita eh mais carismatica (e ainda fez “Gilda”), mas a Tierney foi uma das mais belas da epoca dela.

    Tb prefiro muito mais “Sangue Negro” e “Desejo e Reparacao” do q o filme dos Coen, que pra mim foi apenas bom.

  3. Muito bom esse questionário… concorco com oq vc disse sobre Onde os fracos não têm vez… tb adorei filme, mas se compará-lo com Sangue Negro… eh melhor nem comparar, a diferença é muito grande… pra mim Sangue Negro ganhará status de clássico.

  4. Digníssima sua lista!

  5. Legal, Wally! Eu só não acho Onde os Fracos Não Têm Vez superestimado, hehehe!

    Abraço!

  6. Eu amo a merda do Segredo.

  7. Wally, parabéns belas belas respostas e justificativas. Só discordo de três: acho que Cegueira não seria o subestimado, mas o contrário; Kate Winslet ainda não está entre as melhores atrizes de Hollywood, pra mim; e Revolutionary Road não me desperta nenhuma expectativa. E nem é por causa da Kate, até pq não sou fã de Leonardo, mas digo que ele parece estar impressionante no filme.

    Abrços!

  8. Wally, adorei as respostas. Vou tentar responder ao questionário em breve, ok?

  9. Demais as respostas, Wally! O legal é que escolheria (ou concordaria com) todas! Principalmente Magnólia, se bem que tendo mais para As Horas.
    Abraço!

  10. Valeu pela indicação desse Meme, Wally, realmente esse questionário é muito interessante e você soube respondê-lo de maneira impecável! E nem vou comentar a parte sobre “Magnólia” porque tá, tipo, perfeita! ;)

  11. Vou comentar apenas um ítem. Assisti “Conflitos Internos” filme original em que se baseou “Os Infiltrados” e Tony Leung faz um grande papel, acho Chow Yun-Fat deve muito de sua fama aos clássicos de John Woo que ele protagonizou em Hong Kong, que por sinal são sensacionais.

    Abraço

  12. Por que todo mundo escolhe Sharon Stone em?
    eheheheh

    Deixa para lá
    ótimo questionario amigo …
    Abraços

  13. acho que teremos sim, pios de Blindness no oscar do ano que vem

    até porque seria um absurdo a academia ignorar o trabalho irretocável do editor Daniel Rezende

  14. Hummm!

    Batman e o Homem de ferro foi dos granes filmes mesmo, mais a escola por Batmam foi perfeita apesar que Homem de Ferro, que também não esperava muito me supreendeu…

    A Escolha por Cegueira foi magnifica, não assisti ao filme ainda, mais sei que ele é bom, acredito que pelo menos umas “‘100” pessoas elogiaram o filme pra mim… rsrs Mais discurdo plenamente com voce sobre de Onde os Fracos não tem veiz, o filme foi totalmente ridiculo, parecia um Tom e Jerry.. deu pra dormi ai…

    mais gosto é gosto né.. rsrsrs

  15. Cecília muito obrigado! Mas, eu também acho “Onde os Fracos Não Têm Vez” magnífica. Só não “4 Oscars magnífico”.

    Romeika muito interessante e introspectivas suas colocações. Procure O Balconista (o primeiro, principalmente)! E não sei, mas acho Winslet tão elegante quanto as de antigamente, mas mais complexa, claro. E os Coen para mim, foram excelenets, mas não os melhores.

    Sérgio não poderia concordar mais.

    Fabi thanks!

    Pedro será porque? Rsrsrsrs. Eu o adorei, mas achei superestimado no Oscar.

    Luis então teve mais sorte que eu!

    Kau obrigado e, respondendo: “Cegueira” foi bem recebido no Brasil mas, completamente criticado nos EUA. Acho Winslet a melhor da nova geração e Revolutionary Road tem só fatores primorosos.

    Kamila que bom e, tente sim!

    Luciano legal e obrigado! E, ainda pensei em Woolf e cia., mas Magnólia possui um panorâma ainda mais diverso e afetuoso para mim.

    Vinícius que ótimo que gostou e, espero que responda sim! E eu já sabia quanto à Magnólia, sendo seu filme preferido…mas me indentifico demais com este filme.

    Hugo muito bem colocado, mas acho Yun-Fat um astro enquanto Leung, um verdadeiro ator!

    João porque ninguém a resistiu? Brigadão, cara.

    Jonathan independente das qualidades absurdas do filme, sua decadência diante da crítica americana o enfraquecerá em todos os quesitos. Difícilmente chegará lá.

    Conquistadores obrigado e legal suas opiniões, só dicordo mesmo de “Onde os Fracos Não Têm Vez”, que achei cinema genial.

  16. Uau… Mais um suspense magistral de Hitch nos dias de hoje? Não ia ser nada mau.
    A bem da verdade, por mais méritos que tenha (e tem), também acho o ‘Oscar winner’ dos Coen um tanto superestimado, em relação à reação que obteve da crítica.
    Osment foi fenomenal em SEXTO SENTIDO, e depois em A.I., só que parece que o perdemos, infelizmente. A não ser que haja algum grande retorno algum dia…

  17. entendo wally, mas torço para que voce esteja errado dessa vez, se é que voce me entende hehehehheh

    abraço!
    elogios meus ao seu blog


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Categorias

%d bloggers like this: