Publicado por: Wally | Sábado, Outubro 11, 2008

Hot Rod – Um Louco Sobre Rodas

Jovens, rebeldes e debilóides

Hot Rod (2007)
Direção:
Akiva Schaffer
Roteiro: Pam Brady
Elenco: Andy Samberg, Isla Fisher, Jorma Taccone, Bill Hader, Danny R. McBride, Sissy Spacek, Ian McShane, Will Arnett
[Comédia, 88 min.]

Rod Kimble é pertubadoramente louco, doido e idiota, especialmente quando realiza suas doideras de dublê em cima de sua confiável motinha. Ao lado de seus amigos igüalmente pertubados, segue sua vida de debilóide até que seu pai surge com um problema de saúde que leva Rod a elevar suas atrapalhadas para um propósito maior.

Não é de se estranhar, inicialmente, que todo esse projeto, antes de virar essa bobeira agradável protagonizada por um divertido Andy Samberg antes pertencia completamente à Will Ferrell, que juntaria essa fita com seus outros experimentos com esporte, vide “Papai Bate um Bolão”, “Ricky Bobby – A Toda Velocidade”, “Escorregando para a Glória” e o ainda inédito “Os Aloprados”. Ferrell é nato para este típo de humor. Porém, é inegável assistir à esse “Hot Rod” e imaginar algum idiota que não seja Samberg no papel do protagonista, esbanjando imaturidade, maluquice, babaquice e muita infantilidade. O filme é, a todo momento, essa bobeira toda. Desde sua trama formuláica até suas ocasionais piadas bestas e humor em vezes forçado, é tolo. Mas, de certa forma, faz uma grande diferença o que Akiva Schaffer (em seu primeiro filme) fez ao trazer alguma espécie de inspiração e tom original ao filme, ainda que este caía incansávelmente no descartável e no bobo.

É como “Superbad – É Hoje”, ainda que bem inferior em direção e principalmente em roteiro. É sobre uma juventude desmiolada, tola e cheia de situações vergonhosas. Mas, o que faz a experiência de se assistir essa juventude tão divertida é a forma com que as situações são traçadas. Não com exagero (ainda que “Hot Rod” caia nessa armadilha de vez em quando) e tolice simplificada, mas com um certo “que” de atitude e um ar pomposo de estilo. A começar pela trilha sonora genial que, diversamente, ajuda a moldar cenas extremamente hilárias. Notem na cena onde toca “Two of Hearts”, impagável. É sincronia visual, sonora, com espírito cinemático e humor bem intencionado. O problema do filme é mesmo trair essas tais boas intenções com um humor que diversamente soa completamente forçado, quase superficial. Os acertos, graciosamente, existem. Mas é incontestável que a imaturidade infelizmente toma conta não só dos personagens, mas do próprio roteiro sem limites.

É válido, por isso, tentar buscar o prazer e o entretenimento nos elementos básicos mais naturais de “Hot Rod”. O filme é besta, mas consegue ser engraçado quando se nota algum esforço no humor. Exemplo da cena que faz graça de “Footloose”, com Rod dançando na floresta em uma imitação engraçadíssima do que Kevin Bacon havia feito há mais de 20 anos. São nesses momentos que vemos que existe alguma validez no filme todo e que sua forçada da barra exagerada pode ser perdodada quando se é analisado o quanto o filme não só atinge seu público alvo gratificantemente, mas consegue construir personagens em cima de esteriótipos e ainda assim os tornarem interessantes, de uma forma bizarramente unidimensional, claro. E nisso nota-se o elenco bem escolhido e sincronizado, químicamente ativos e confortáveis em seus respectivos papéis. Samberg é um que abusa, mas nunca trai o espírito do personagem. E ainda faz um par divertido com a sempre memorável Isla Fisher.

O filme é recheado de ótimos diálogos, momentos inspirados, personagens queridos e aspectos visuais/sonoros gratificantes. Aspectos virtuosos que compensam quase que completamente a trama extremamente batida, algumas situações horrívelmente bobas e todo aquele descomforto depois de uma piada simplesmente sem graça mal direcionada. “Hot Rod” é bobo. Mas, ele assume seu estado de ser, com plena sabedoria de sua tolice. E, por não esconder pretensões maiores, funciona como um divertimento passageiro quase como um prazer de culpa. Tente entrar no espírito, se conectar com os personagens e vai na onda ininterruptamente babaca deles. Às vezes faz bem esquecer dos problemas e ver a vida como uma simples rampa que deve ser ultrapassada ou sonhar com lutas entre sanduiches de queijo com tacos. Não tente entender, apenas veja o filme.

Nota: 6,0


Responses

  1. Curiosamente estava comentando com um amigo meu e ele soltou uma coisa curiosa, no qual o filme tem todo potencial de se tornar cult. E ele disse alguns motivos como a trilha divertida pra caraio, a quebra (arriscada) de clima onde existe um clima dramatico e depois ele lança uma piada no qual pode funcionar ou não, um protagonista gênial, momentos inesqueciveis (principalmente do acido e o famoso dialogo), uma banda foda cantando um estilo que eles odeiam e tudo mais.

    Não vou reforçar a ideia dele, em compensação Hot Rod cumpre o seu papel em trazer uma comedia com ares oitentista para uma nova geração, e diferente da comedia atual, ele pode se encaixar isoladamente por que não carrega nem tanta sacanagem sensivel da trupe de Appatow, e nem tanta idiotisse da trupe do povo que faz qualquer merda com final Movie. Hot Rod se destaca isoladamente por ser simples e direto.

    e COOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOLLLLLLLL BEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEAAAAAAAAAAAAAAAAANNNNNNNNSSSSSSSS!

  2. Cara, nao tenho a minima vontade de ver esse filme, ja ouvi falar mal dele. E se vc deu nota 6,0 pra ele, imagina eu?

    huahuahuahauhauhauha

    abraços

  3. Sei lá, estou um pouco cansado desse tipo de comédia, sabe? Para ver com a galera até rola, mas realmente não tenho vontade alguma de ver esse “Hot Rod” – mesmo que por seus comentários não pareça ser um filme ruim. Abraço!

  4. Este tipo de comédia é difícil de agradar…. quem sabe quando passar na tv e não tiver outra opção.

    Abraço

  5. Em nome de Deus, mas o que é isso???? Não conheço não…

    Abs!

  6. Estou bem curiosa em relação a este filme, porque li bons comentários sobre “Hot Rod”. Parece ser uma boa comédia. O Andy Samberg é um dos novos talentos do programa “Saturday Night Live”. Gosto dele. Ele é bem bobão! :-)

  7. Eu li o texto do João Paulo e ele gostou tanto quanto você. É o tipo de filme que, quando aparece opiniões interessantes, deve-se conferir.

  8. Wally, nunca tinha ouvido falar neste filme Oo

    Fica a dica!!

    E fiquei feliz em ver Sissy e Arnett no elenco.

    Abs.

  9. Vixe, Wally, esse tipo de produção não me suscita nenhum interesse, apesar do citado SUPERBAD ser um filme de qualidade, por exemplo. Não conheço o protagonista do filme e Will Ferrel também não é tão engraçado assim, IMO…
    HOT ROD fica para ser assistido no dia de São Nunca!

    Cumps.

  10. João Paulo realmente têm potêncial para se tornar cult, ainda que não seja dos melhores.

    Carranca se eu te conhece, é melhor você nem assistir.

    Vinícius o legal do filme é que, apesar da tolice, te prova que é, de certa forma, refrescante no meio de comédias batidas.

    Hugo veja assim mesmo, descompromissadamente.

    Otavio faz sentido. Mas até que vale a pena conhecer, com certo descompromisso, claro.

    Kamila é uma boa, tola comédia.

    Pedro o JP gostou ainda mais do que eu. O filme é legal, vale a pena.

    Kau o elenco é bem divertido, veja sim.

    Gustavo veja quando estiver bem light e com muito descompromisso, talvez assim se divirta como eu.

  11. Isso tem de ficar claro: é uma tolice! Mas se assume como tal e não entrega nenhum momento de pretensão. Eu me diverti bastante…
    mais do que com “Superbad”! E aquele japonês dançando… que coisa tosca!

  12. Vocês, meros idiotas que cultuam e adoram rir, não sabem o que perdem ao não verem esse filme. Parecido com outros? Sim, e daí? A graça está na tosquice em si. Não há mais humor e vocês, se quiserem, fiquem com os antigos Loucademia de polícia, que deve ser o tipo de humor que gente “culta e inteligente” como vocês assiste. Ridículos. Vocês são ridículos, o filme é legal pra caramba. A trilha sonora é uma das melhores.

  13. o filme é legal, muito louco e engraçado gostei nota 8,0.vlw!

  14. […] de 2007, vendo o vídeo abaixo, acredito que você uma idéia do que se trata do filme, segue um link para ter informações sobre o filme. Vale apenas assistir com uns sacos de pipocas e dispostos a […]

  15. […] apresentador da vez é Andy Samberg, comediante que tem seus bons momentos em filmes como "Hot Rod – Um Loucos Sobre Rodas" e é um regular no atual Saturday Night Live. Ou seja, pode se esperar uma noite bem humorada […]


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Categorias

%d bloggers like this: