Publicado por: Wally | Terça-feira, Setembro 9, 2008

Loucas por Amor, Viciadas em Dinheiro


Roubos, trapaças e nenhuma recompensa

Três amigas diferentes que trabalham na Reserva Federal de um banco decidem burlar as regras e colocam em prática um plano para roubar o dinheiro do qual o banco destrói. O dinheiro não faz falta e as amigas, cujos ‘status’ financeiro não é do melhor, caem na ganância e no excesso.

O que traz a energia principal desse filme leve e quase nulo é, primeiramente, a química entre o elenco, cujas atrizes, sendo a exceção uma Katie Holmes que funciona apenas quando está dançando e cantando como uma louca, realizam trabalhos cômicos ao menos divertidos, sendo o destaque uma Diane Keaton inspirada e a correta Queen Latifah. Não são o suficiente, porém, para tirar o filme da simplista Callie Khouri do buraco, que dirige sem muita desenvoltura um roteiro que não explora totalmente os momentos de felicidade das mulheres, proporcionados pelo roubo do dinheiro, caindo também constantemente no cliché e no previsível, sendo o auge seu fim quase tolo de tão usual e bobinho. O benefício que se pode tirar da sessão é um que requer total descompromisso, leveza e nenhum senso crítico. Talvez assim podemos ignorar os elementos que transformam o gênero da comédia tão saturados hoje em dia em Hollywood.

A trilha sonora do filme é, também, um grande abastecedor. Divertidíssima, consegue o feito de deixar muitos momentos bem mais fluídos e divertidos do que inicialmente teriam sido. Alias, se o elementos como elenco, parte técnica e estilo não estivessem presentes para o bem do filme, o roteiro deixado à deriva teria sido realmente vexamoso. Lotado de previsibilidade, ainda contém inúmeras pregações e moralismo barato, tudo acerca do poder do dinheiro e a compra da felicidade. São comentários realizados com frases feitas, nenhuma sutilidade e de uma forma óbvia toda superficial. O filme funciona melhor quando é mesmo mais descompromisso, não nos fazendo leva-lo a sério e por isso, nos contageando a participar dos roubos (os momentos que mais funcionam).

Como se não bastasse o roteiro previsível (que ainda por cima é uma readaptação), precisamos lidar ainda com personagens muito óbvios e estereótipados, cujos dilemas não conseguem nos proporcionar introspecção dramática ou nem mesmo alívio cômico. Estes são salvos mesmo pelos atores, que não caem no comum ou no excesso. Keaton é a salvador da pátria, toda energética e com ótimo timing cômico. Pena que não seja o suficiente para tirar o filme daquele ar de bobeira descartável. Mas se ele não se levasse a sério, encarando esse ar de descompromisso e bobeira, não tentando imprimir algo superior, também teria sido menos equívocado, visto que incontáveis vezes tenta nos atingir com comentários moralísticos e dramáticos nada interessantes. É aquela falha habitual de filme que não aceita seu gênero ou espaço. Se arriscou tentando ser algo que não é e que também não deveria ser.

Então, muito menos do que se preza ou se ambiciona, “Loucas por Amor, Viciadas em Dinheiro” é assistível e até divertidinho, pecando mesmo em seus extremos, seja seu polimento dos personagens, diálogos desastrosos, moralismo medíocre e direção demasiadamente inerente. Para quem não quer nada com isso e não se importa com um filme despojado e mal realizado, se divirtam assistindo três atrizes de três gerações diferentes fazendo a festa ao lidar com seus conflitos amorosos (derrapada feio da roteiro) e seus roubos descontrolados à um banco. Mantenha o foco nelas, mais especificamente Diane Keatone e na trilha sonora bem, bem legal, e esqueçam do resto. Ou, ao menos, não dê muita bola ao que lhe é insistido cena após cena pelo roteiro incrívelmente cheio de sí e repleto de passagens descartáveis, entre outras neuroses debilitantes.

Nota 5,5

Mad Money (2008)
Direção:
Callie Khouri
Roteiro: Glenn Gers, John Mister, baseado em roteiro de Neil McKay e Terry Winsor
Elenco: Diane Keaton, Queen Latifah, Katie Holmes, Ted Danson, Adam Rothenberg, Roger R. Cross, Christopher McDonald
[Comédia, 104 minutos]


Responses

  1. É um filme que não me atraíu. Vai para aquela listona a ver na televisão.

    Abraço.

  2. ADASJdiAJ! nao vi esse filme. mas me deu vontade de dar aquela conferida! HASUdhuA

  3. Como você disse no texto, este filme é até assistível e divertido. Agora, Katie Holmes nem dançando feito louca presta! Uma das piores atuações do ano! Chato é ver a Diane Keaton se prestando a filmes desta categoria….

  4. Eu não tive vontade de ver e o seu texto me mostrou que foi uma boa idéia a minha.
    Hehehe…
    E relembrando: a Katie Holmes é muito ruim!

    Beijocas

  5. Esse eu só vejo no Telecine. E relembrando: Katie Holmes e Queen Latifah são muito ruins. E Diane Keaton perdeu a forma faz anos.

    Abraço!!!

  6. Wally, esse filme tem muuuita cara de bomba. Vou passar longe. Lamentável ver o ponto que a Diane Keaton chegou. Ah, whatever, sempre achei ela uma atriz discutível.
    Abraço!

  7. Se há o que rirmos neste filme é no desespero da diretora em arranjar alguma maneira de encerrar seu filme, de modo com que agrade os americanos. Direção perdidassa.

    Abraços, Wally!

  8. Apesar de gostar da Queen Latifah e Diane Keaton, acho que ultimamente elas têm errado mais do que acertado em suas escolhas para o cinema, especialmente a atriz veterana, ultimamente vista em várias comédias de gosto discutível. Mas já que você disse que é ao menos assistível, talvez dê uma chance ao filme em breve. Abraço!

  9. É um tipo de filme que não me chama a atenção. Como disse o Red Dust, fica para quando passar na TV.

    Abraço

  10. Achei muito parado, faltou muito pra se tornar um filme mediano. É apelativo e tem uma história cansativa!

    1 estrela!

  11. Odiei o trailer desse filme e não vou com a cara da Queen Latifah. Prefiro passar longe.

  12. Eua ando vendo filmes muito ruins ultimamente, portanto, vou passar longe.

    E Katie Holmes é ARGH!

  13. Vixi! Deve ser trash! Mas vi aí que vc assistiu a ILS… quero saber tua opinião. Abs!

  14. Olá, Wally.

    Que editor de imagens você usa para conseguir um padrão para o recorte das imagens? Quase todas as imagens têm o mesmo tamanho, e isso torna o blog visualmente belo.

    Se puder me ajudar, ficaria grato.

    Abraços.

  15. Não parece muito interessante… Só em caso de extrema devoção a Diane Keaton e Queen Latifah!

    Cumps.

  16. Filme Pipoca

  17. Henry K., eu uso o paint tradicional mesmo.

  18. esse filme é muito ruim fui obrigada a assisti-lo para um trabalho e pra mim foi uma tortura


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Categorias

%d bloggers like this: