Publicado por: Wally | Domingo, Agosto 24, 2008

Kung Fu Panda


O poder da fúria

Apesar de ser o Panda mais preguiçoso do vale e se atribuir apenas à seguir os passos de se tornar cozinheiro como seu pai, Po logo se torna a única esperança para os moradores do local quando é nomeado de “o escolhido” e forçado a se juntar ao lado dos “cinco furiosos” para batalhar o mal que ameaça tomar conta do local.

Divertido, energético, vívido e eficiente no que se propõe, “Kung Fu Panda” é uma daquelas animações verdadeiramente difíceis de se resistir. Apesar de seu roteiro outrora comum e personagens típicos dentro de uma limitada premissa com fim moralista, é incrível e admirável o que os cineasta conseguem fazer de tão pouco algo tão satisfatório. Não podemos esperar do filme algo, por exemplo, à nível da maestria demonstrada pela mais recente animação extraordinária da Pixar, mas isso porque a proposta do longa da Dreamworks é outra, e este se mantém sempre fiel á ela, correspondendo às expectátivas e oferecendo um entretenimento valioso para quem quer simplesmente se divertir. Estéticamente formidável, espirituosamente vivo e com sequências cômicas e exhilirantes, é o blockbuster animado que esperamos ver na temporada. Não adianta arrebatá-lo por seus defeitos, mas é interessante e sábio aceitá-lo pelo que ele é, sem pretensões além do limite.

Ainda assim, vale notar (e elogiar) a meticulosidade da animação para com a cultura que retrata. Capturando muito bem todo aquele mundo, o filme é hábil tanto ao demonstrar os cinco estilos de wushul (ou kung fu) caracterizados conforme o animal à qual pertence e se inspira, quanto em oferecer detalhes mínimos importantes ao longo da projeção, como os nomes significativos que certos personagens ganham. Fica fácil, por isso, se situar da melhor forma possível em toda a história, que se torna comfortável, competente e realmente bem divertida. As intenções cômicas podem nem sempre funcionar (pessoalmente acredito que a dublagem original deve ter ajudado muito nesse sentido), mas quando funcionam são acertos realmente valiosos e importante tanto para o ritmo, quanto para o ar constante de descompromisso. Alguns diálogos até belos podem até sugerir o contrário, mas o filme não possui grandes pretensões, como já dito. É uma iniciativa plausível dentro de seus parâmetros.

É preciso ressaltar também que a Dreamworks Animation entrega com este filme sua melhor animação desde a sequência maravilhosa da melhor animação da produtora: “Shrek”. Mas ainda assim, é uma produtora que nunca falhou de verdade, sendo seu ponto mais fraco mesmo “O Espanta Tubarões”, que simplesmente teve um péssimo timing. Eles saem em busca da diversão e cumprem esse dever com estilo e vivacidade, contagiando a audiência. “Kung Fu Panda” possui uma cena de ação realmente emocionante em uma ponte, e é a prova concreta de que as mentes por trás sabem o que fazem e conseguem criar algo visualmente hábil o suficiente para nos conquistar. Por isso acabamos levando na esportiva certos clichés básicos e aquele final altamente batido e previsível. A animação pode seguir aquela fórmula básica, mas ousa o suficiente para construir cenas irresistívelmente bem estilizadqs e cheia da mais furiosa energia, acabando por atacar nossa maior vulnerabilidade: a ânsia ao divertimento.

Ainda contando com uma ótima trilha sonora e um visual já mencionado imensamente belo, construindo uma união perfeita entre cores das mais vívidas e claras possíveis, o filme ainda captura com perfeição o local da China, lembrando o feito extraordinário de “Mulan” neste mesmo setor. É tecnicamente um grande feito, mas é também um que esconde coração por trás de seu intuito capitalista. Seus personagens são charmosos e o clima é de pura descontração. Faltam mais animações assim, que não se levam muito a sério e fazem por merecer a exaltação do público que busca a mera diversão. “Wall-E” chegou esse ano como cinema fascinante e impressionante, tanto em aspectos emocionais quanto técnicos e de entretenimento, mas “Kung Fu Panda” veio com seu próprio intuito e se saiu vencedor ao não se tornar vítima da indústria e cair na desgraça de frases feitas, clima frio e ar mecânico. O filme soa autêntico na maior parte das vezes. Encanta com a sensibilidade de momentos e nos faz esquecer de seus aspectos tolos e tão convencionais. Essa fúria mágica das animações podem se perder, mas “Kung Fu Panda” nos recorda muito bem dela.

Nota: 8,0

Kung Fu Panda (2008)
Direção:
Mark Osbourne, John Stevenson
Roteiro: Jonathan Aibel, Glenn Berger, Ethan Reiff, Cyrus Voris
Elenco: Jack Black, Dustin Hoffman, Angelina Jolie, Ian McShane, Jackie Chan, Seth Rogen, Lucy Liu, David Cross, Randall Duk Kim, James Hong, Dan Fogler, Michael Clarke Duncan
[Animação, 92 minutos]

                                                                                              

Andei meio ausente do blog esta semana e gostaria de explicar. Como muitos devem saber eu tenho 17 anos e ainda estou cursando o último ano do Ensino Médio. Meu objetivo é a faculdade de jornalismo. Por isso foi de surpreender o convite que recebi do simpático Edinho Pasquale quanto ao site dele: o DVD Magazine. A partir dessa semana, então, começei a escrever algumas críticas para o site, dentre as quais duas já foram publicadas. Gostaria de confirmar, no entanto, que minha casa (por enquanto, ao menos) continua sendo o “Cine Vita”, que continuarei a atualizar constantemente. Para quem se interessar, porém, algumas críticas serão lançadas no próprio DVD Magazine com antecedência. Gostaria de agradecer, com isso, a força de todos os blogueiros amigos, que me deram mais força para continuar a escrever sobre a arte que tanto amamos. Sem dúvida, se não fosse por vocês eu não teria chego tão longe. Muito obrigado!


Responses

  1. Kung Fu Panda é um grande filme, comparado a outras animações inferiores que a Dreamworks andou entregando nos últimos anos, ainda sob a sombra do grande sucesso que foi a franquia Shrek. Eu mesmo me surpreendi com o que vi, achava que seria mais um filme “babaca” – no sentido de personagens comuns, roteiro ralo – e foi exatamente o que eu achei, entretanto o filme acaba por ser melhor por causa da competência das cenas, visualmente bem pensadas. E tudo acaba funcionando. Achei digno.

    E sobre sua ida ao DVD Magazine, parabéns! Mas não abandone o blog, mantenha-se por aqui. ;D

    Um abraço.

  2. Vamos falar logo do Pandinha …
    Uma animação deliciosa, se brincar o melhor filme da Dreamworks. Cumpre bem a proposta mais primordial de uma animação infantil … entreter o espectador. e Po é heroi!

    E você se torna heroi por conquistar novos passos em sua vida principalmente no que se diz a respeito a participar do DVD Magazine e nunca se esqueça … apoio vc terá de mim e de todos que lhe admiram!
    abraços

  3. Eu me desiludi com este filme. Não gostei muito. Em ano de Wall-y, Kung Fu Panda não têm vez.

    Abraço!

  4. ♦Luiz o filme é bem divertido mesmo. E não se preocupe, não vou abandonar.

    ♦João Paulo a proposta é mesmo cumprida muito bem. E brigadão pelo comentário, pode ter certeza que vale muito para mim.

    ♦Pedro o filme não é tão memorável quanto “Wall-E” mesmo. Mas no momento, cumpriu sua promessa.

  5. Incrível a notícia sobre o DVD Magazine!; acompanho o site há anos e fico contente em saber que poderei ler suas críticas por lá.
    Quanto à animação comentada, KFP, estou vendido, após ler outros opiniões igualmente entusiásticas. Alugarei ou comprarei o DVD quando sair – quem sabe apareça um ‘quote’ seu na capinha do DVD brasileiro, já pensou?

    Cumps.

  6. Engraçado que não gostei tanto desse filme quanto a maioria, apesar de ser bem divertido mesmo. O maior destaque é o visual, como foi bem comentado, mas acho que o excesso de cenas de ação prejudicam o resultado final em termos de narrativa. E parabéns pela novidade, não tinha dúvidas que você chegaria a esse ponto (e muito mais, claro)! ;)

    Abraço!

  7. Também não consgui gostar tanto quanto a mioria. Acho que é um filme mas que diverte pouco se comparado a Shrek. Acredito que a Dreamwaorks tem muito mais competência de fazer um traqbalho melhor, nem gosto de compará-lo a trilogia de Sherk.

  8. Em primeiro lugar, parabéns pela DVD Magazine! Você merece!

    Em segundo lugar, adoro “Kung Fu Panda”. Concordo que é a melhor animação produzida pela Dreamworks desde “Shrek” e “Shrek 2”. Precisamos mesmo de mais filmes assim, que nào se levam a sério e que querem nos entreter com boa qualidade.

  9. E tenho certeza de que irás muito mais longe, Wally! Talento você tem, vontade não falta. É apaixonado por cinema e tem vocação para o jornalismo… O caminho está aberto, meu amigo!

    Um abraço!

  10. Ainda não conferi este filme, acho até que já saiu de cartaz por aqui… vou esperar chegar em dvd talvez…

    vlws

  11. O filme é divertido, engraçado e fez grande sucesso. Traz mensagens posistivas, sem querer parecer sério. Garantia certa de bons momentos de diversão.

  12. […] cuja síntese exata é a personagem Fox, personificada com extrema sensualidade por Angelina Jolie (Kung Fu Panda), furiosa com sua personagem mortal, mesclando essências de femme fatale com de heroínas […]

  13. […] vozes divertidas de Matthew Broderick (Bee Movie – A História de uma Abelha), Dustin Hoffman (Kung Fu Panda), Kevin Kline (Três Vezes Amor), Wiliam H. Macy (A Fúria), Stanley Tucci (O Vigarista do Ano), […]


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Categorias

%d bloggers like this: