Publicado por: Wally | Terça-feira, Agosto 5, 2008

O Incrível Hulk


Conflitos externos

Agora um fugitivo, o doutor Bruce Banner decidiu isolar-se no Brasil, cortando sua conexão com as pessoas que o caçam e à procura da cura para sua habilidade incontrolável de se tornar um gigante mostro esmeralda quando se agita demais. Mas seu destino logo cruzará com as tropas americanas, cujo comandante ousa introduzir uma máquina mais humana para combater o anti-herói.

O indevidamente massacrado filme sobre a figura monstruosa do Hulk, dirigido pelo visionário Ang Lee há cinco anos, abordou o quadrinho com uma perspectiva até então inédita. O filme de Lee era um sobre os conflitos internos do monstro e o médico que residia dentre dele, deixando de lado o foco habitual de blockbusters neste estilo: a ação. O novo filme do herói eqüilibra a situação. O filme, agora conduzido por Louis Leterrier, conhecido pelo exageradíssimo filme de ação “Carga Explosiva” e por “Cão de Briga”, deixa de lado introduções e a habitual preparação e já começa com um Bruce Banner prestes a iniciar uma caçada adralinesca pelas favelas do Rio. A intenção do filme de início não soou muito clara para mim. Eu não sabia se iria começar do zero ou se continuaria na situação que o primeiro terminou. O roteirista preferiu a segunda opção, me decepcionando um pouco, visto que começamos a assitir ao novo filme sem ter muita certeza onde deveriamos nos situar, principalmente com tudo renovado: atores, visual e elementos narrativos.

Em outras palavras, o filme é uma sequência não oficial do longa mais cerebral de Lee, colocando o personagem em um filme mais cheio de ação e perigo. De certa forma, eu prefiro o filme de Leterrier, que não abandona completamente os conflitos internos do doutor/monstro, mas prefere mesmo abordar seus conflitos externos, seja a ameaça militar, ou o perigoso ato de fazer amor. Em contraponto, acho que as duas obras são complementares uma a outra, mesmo que ambos não demonstrem, ao final, serem grandes obras. Lee teve um filme mais introspectivo e sua estrutura foi genial, capturando o espírito dos quadrinhos muito bem. A versão de Leterrier é mais ágil, suja e realista, mesmo introduzindo elementos monstruosos e referências aos quadrinhos bem legais, incluindo uma última cena que faz uma ponte genial com o superior “Homem de Ferro”. “O Incrível Hulk” possui algumas valiosas cenas. Seja as de ação (tirando a de seu clímax, que deixou a desejar) e algumas dramáticas, que são movidas, em especial, pelo talento de Edward Norton.

Norton lidera o elenco muito bem. Seu Bruce Banner é um melhor que o de Eric Bana talvez por soar mais natural. Por outro lado, sua naturalidade e esperteza em cena não é correspondida por Liv Tyler, que está bem deslocada no papel. Apesar de seus momentos, ela por sua vez não possui a intensidade que Jennifer Connely trouxe anteriormente. Gostei bastante, porém, de Tim Roth, como um vilão bem eficiente e William Hurt, como o general. Foi um casting competente. Eles entregam mais vida aos personagens quando o roteiro costuma falhar. Mas Zak Penn fez um trabalho admirável, ao menos em criar uma trama com a qual podemos facilmente nos identificar e abordar elementos da vida dura de Banner que funcionam. Leterrier já é um cineasta de cenas únicas. Uma das minhas ressalvas com o filme é que a estrutura em sí do filme não me empolgou muito. A empolgação de momentos era substituída pela irregularidade de outros, e por assim vai.

De qualquer forma, “O Incrível Hulk” é um ótimo filme de ação, um admirável filme de super-herói e bom cinema, acima de tudo. Ele tem suas falhas e confesso que muitas não me permitiram aproveitar a fita por completo. O clímax, por exemplo, é um que não me empolgou. A ação exagerada não me conquistou como as outras duas espetáculares do longa. Mas também o longa não é um tecnicamente impecável. Os efeitos especiais são bons mas nunca perfeitos. O tom rebuscado e sujo serve para deixá-lo mais realista, mas ainda assim não entrega aquele tom estilizado do primeiro “Hulk”. O filme entretem, e isso é bem importante. Divertido, com pitadas de humor, ação gratificante e atuações valiosas do elenco. Um exemplar recomendado, sem dúvida. Mas numa briga com os mais novos filmes de super-heróis do pedaço, ele perde.

The Incredible Hulk (2008)
Direção:
Louis Leterrier
Roteiro: Edward Norton, Liv Tyler, Tim Roth, William Hurt, Tim Blake Nelson, Ty Burrell, Christina Cabot, Peter Mensah, Lou Ferrigno
[Ação, 114 minutos]


Responses

  1. O filme é bom, divertido… Mas não é para exageros não. Concordo com você: com outros filmes de “super-heróis”, O INCRÍVEL HULK sai perdendo. É assim com dois exemplos recentes: HOMEM DE FERRO e BATMAN – O CAVALEIRO DAS TREVAS.

    Abs!

  2. Olha adoro a obra do Ang Lee, talez seja por isso que não fui muito com esse Hulk novo, que tem boas cenas, mas não passa de uma diversão de momento, quase esquecível.

  3. Na verdade não gosto muito do “Hulk” de Ang Lee. Até achei divertido na época de seu lançamento, mas depois que revi achei bem fraquinho (apesar de ter seus méritos). Essa ‘continuação’ é bastante superior na minha opinião, apesar de não passar da média mesmo – tenho esperança que o próximo (se existir) será ainda melhor. Também não gostei do clímax, prefiro a cena no campus. Abraço!

  4. Nem vi …
    que bosta …

  5. Depois que O Caveleiro das Trevas estreiou eu nunca mais ouvi falar do Homem de Ferro e nem do Hulk. Por que será?

  6. ♦Otavio exatamente isso!

    ♦Lucas não adorei o filme de Lee, até acho seu mais fraco, mas gostei considerávelmente. Prefiro ligeiramente o filme de Leterrier, apesar de ser enfraquecido em questões de personalidade.

    ♦Vinicius comigo aconeteceu o contrário. Odiei o “Hulk” quando o vi pela primeira vez e ele foi apenas melhorando, mas sim, nenhum dos dois passam da média. E a cena do campus é mesmo a melhor.

    ♦João Paulo vale a pena. Mas em DVD talvez será melhor ainda…

    ♦Pedro fácil: o filme de Nolan é extremamente superior à ambos os filmes, e desde já o definitivo filme do gênero.

  7. sab to loko p ve esse filme!!!

    espero q valha a pena!!!

  8. Deve ser apenas um bom entretenimento.

  9. Não acho que o filme do Ang Lee complementa o de Leterrier, mas concordo que o prefiro o filme do francês. Acho que o grande trunfo de “O Incrível Hulk” é equilibrar ação com drama, ao mesmo tempo em que faz com que a gente se importe com os personagens, especialmente com Bruce e Betty.

  10. so assisti o de Lee, ainda nao vi este novo….verei assim que puder.

    Mas com certeza nao é melhor que o novo Batman.

  11. Só pra constar, Wally… Eu prefiro o filme do Louis Leterrier. O Ang Lee, claro, é melhor diretor, mas o filme de 2003 não ajuda. Esse do Leterrier + Ed Norton é mais legal.

    Abs!

  12. Não vi, acredita?? Vou procurar assistir o mais cedo possível!

  13. As críticas até que foram positivas sobre este filme e como ainda não assisti, nem mesmo o filme de Ang Lee, não posso comparar, mas um coisa eu posso dizer, a criatura computadorizada do filme anterior era no minimo estranha.

    Abraço

  14. ♦Pedro vale a pena sim!

    ♦Luis isso mesmo. Bom entretenimento.

    ♦Kamila esses elementos são mesmo os triunfos do filme. Mas ainda acho que ambos filmes dividem algo especial.

    ♦Carranca está certíssimo! Passa longe de ser…

    ♦Otavio eu prefiro o de Leterier mesmo, mas também gosto do de Lee.

    ♦Louis veja sim. É bom.

    ♦Hugo veja ambos. Aprovo os dois. A criatura do filme de Lee era uma mais idealizada, de acordo com os quadrinhos. Já a de Leterier é uma mais rebuscada e realista.

  15. Perdi esse no cinema (veio dublado na minha cidade, pra variar), mas verei quando sair em dvd. Gosto muito do filme do Ang Lee, mas pelo que dizem deste novo, acho que deve ser no minimo um passatempo legal.

    Abraços!

  16. Justamente por não ter visto nenhum dos dois, ambos parecem interessantes por serem diferentes, porém complementares, como você escreveu. Pelos trailers, percebe-se que o foco desse novo filme é a ação, ao contrário do primeiro.
    Vou pegar o de Lee e, se gostar, pego esse também, seguindo a recomendação, que aparenta ser boa diversão.

  17. Eu gostei do filme do Hulk, em termos de entretenimento ele ganha do filme do Ang Lee, mas só no entretenimento. :)

    Abraços Wally

  18. ♦Hélio que bom que gostou do filme de Lee. Acho que deve gostar desse, ainda mais em DVD, divertimento descompromissado.

    ♦Gustavo veja ambos e tente ver a conexão. Nem todos concordam comigo. Mas gosto dos dois.

    ♦Wendell acho que concordo com você. ;)

  19. Gostei do filme mas sei lá parece que hulk e cinema naum deram liga num sei, mas esse é melhor que o primeiro, bem feito, mais movimentado e o elenco melhor também…


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Categorias

%d bloggers like this: