Publicado por: Wally | Terça-feira, Julho 22, 2008

Onde Tudo Acontece

Lançamento direto em DVD

Loucos por nada

Numa pequena lanchonete de Londres, inicia-se uma feroz batalha dos sexos ao observarmos as atuais situações onde clientes, funcionários e gerentes acabam se metendo no dia tumultuado.

É irônico constatar que o nome nacional desse filme seja este “Onde Tudo Acontece”. Claro, é apropriado ao analisarmos que inúmeras coisas acontecem na tal lanchonete do filme, mas ao mesmo tempo, nada acontece. Ou ao menos, nada interessante. Um tanto bobo e desajustado, o filme é curto e rápido, mas ainda assim consegue nos cansar. Provavelmente porque chega à um ponto onde é inevitável perceber o quanto tudo soa tão fútil. A verdade é que o intuito do filme de início ao fim é provocar o riso com as situações que apresenta, mas estas se revelam tão fracas e tolas que não é possível extrair nem ao menos sorrisos. Divertimento barato? Também não. O filme é inteiramente descartável. Principalmente porque o elenco ainda arruma um jeito de decepcionar. Juntando-se todos esses ingredientes desastrosos e temos uma verdadeira tragédia.

Tentando falar sobre relacionamentos, a diferença entre os sexos e bolar situações onde estas entram em confronto, o filme nunca consegue cativar e, pior, falha em seu intuito de “analisar” qualquer coisa. Deve ser por causa dos personagens, que são todos muito rasos e nada carismáticos. O lamentável mesmo é ver atores como Mena Suvari, que já se revelou tão promissora e Katherine Heigl, excelente atriz, em atuações completamente decepcionantes. O elenco em sí costuma salvar certos momentos da completa mediocridade, mas falta a todos uma atuação que realmente esbanja carisma e charme. Talento em sí é um fator irreconhecível por todos na produção.

É notável também a falta de inspiração com que tudo foi filmado. Péssima edição acompanha uma trilha sonora muito amena e sem graça. Nesse típo de produção, espera-se ao menos uma trilha sonora boa. Infelizmente o diretor não encontrou uma forma adequada de cativar ou se adequar ao público alvo. É possível sim que alguém consiga se identificar com algum personagem e acabe, por isso, aceitando o filme de uma forma melhor, mas não posso negar que não senti nada por nenhum deles, seja este sentimento curiosidade ou afeto. Isso deve-se, como já citado, à construção fraca desses personagens pelo roteiro, que investe mais nas situações no que nas relações entre personagem-espectador. Ele teria sido mais bem sucedido se tivesse percebido isso, visto que assim nosso relacionamento com o filme teria sido melhor e a satisfação teria ido além de situações bobocas e diálogos enfadonhos, raras ressalvas.

Então, foi certeiro seu lançamento diretamente em DVD, principalmente porque o filme não tem aquele humor (mesmo que grosseiro) de filmes como “A Hora do Rango”, portanto, seu público torna-se limitado. De qualidade completamente contestável também, provavelmente soa bem menos pior visto no descompromisso da televisão. Mas ainda assim o filme incomodou. Simplesmente fiquei irritado pela sua percepção do que compõe algo cômico e, acima de tudo, algo dramático. É um filme bem, bem nulo. Extrovertido em suas intenções e fracassado na maioria (para não dizer todas). É daquele típo de filme fútil que nunca deveria ter sido realizado e causa apenas dor de cabeça naqueles que são obrigados a enfrentar sua extrema maldade à arte do cinema.

Caffeine (2006)
Direção:
John Cosgrove
Roteiro: Dean Craig
Elenco: Marsha Thomason, Mena Suvari, Callum Blue, Mark Pellegrino, Roz Witt, Andrew Lee Potts, Mike Vogel, Breckin Meyer, Sonya Walger, Orlando Seale, Brian J. Watson, Katherine Heigl
[Comédia, 92 minutos]


Responses

  1. Diabos! Juro que nunca ouvi falar desse… mas parece que não vale a pena, né? Vou esperar a TELA QUENTE.

    Abs!

  2. É, Wally… trabalhar em videolocadora tem suas desvantagens, né? Que série de filmes ruins voce tem visto, hein?

    Esse eu não conheço, nao comprei pra minha locadora e nem quero!

    Abraços!

  3. Nunca ouvi falar desse filme. Acho a temática interessante, geralmente gosto desse tipo de comédia descompromissada (me lembrou “O Balconista 2”), mas após seus comentários não verei esse filme nem de graça! Abraço.

  4. Como o Hélio disse, vocês que trabalham em videolocadoras merecem todo o tipo de aplauso. E, cuidado! Vai aí um conselho de amigo: já cogitou a possibilidade de perder um neurônio a cada sessão como essa? Deus, seria terrível! ;)
    Ah, e a Mena Svari não virou grande coisa mesmo. Pena, porque AFTER AMERICAN BEAUTY eu pensei que ela fosse deslanchar.
    Abraço!

  5. Wally, nunca tinha ouvido falar neste filme! Acho que vai ficar esquecido nas prateleiras das videolocadoras. Eu, por exemplo, só assistirei ao longa se passar na TV.

  6. Nunca ouvi falar… acho q nunca assistirei possivelmente.. rsrs

    abraços

  7. Assim como todo mundo, nunca ouvi falar desse linga, e pra ser sincero nem me interessei muito, ainda mais com a sua crítica negativa …
    Agora, esse seu último filme que você viu “Paixão Proibída” para ser ótimo!

    Abraço
    Mateus

  8. Wally,

    Foi teu aniversário nesta semana, é? Meus parabéns, rapaz! E muitos filmes de vida!!!

    Abs!

  9. Você esta assistindo muita porcaria não?

  10. Assim como a maioria, não conhecia esse filme. Nem quero conhecer mais que isso…

    Abraço!!!

  11. A conclusão que cheguei é que vc andou exercitando sua paciência, pq meu…cada porcaria que andou assistindo hehehehe!
    É o tipo de filme que nem merecia tanto texto como tu fez, locadora é foda mesmo!
    abraço

  12. ♦Otavio não vale a pena ver mesmo. Faz sentido você nunca ter ouvido falar nele. E muito obrigado pelos parabéns!

    ♦Hélio infelizmente, é uma desvantagem, rsrsrs. E não compre mesmo, nunca é locado onde trabalho.

    ♦Vinicius infelizmente o filme fica muito longe do humor genial dos filmes de Kevin Smith sobre os balconistas.

    ♦Weiner já senti que minha cabeça ta mais leve, rsrsrsrrs. Mas sim, Suvari era um talento promissor que até hoje ta devendo.

    ♦Kamila onde trabalho ta super esquecido. E veja como última opção mesmo.

    ♦Sérgio fique sem assistir mesmo.

    ♦Mateus o filme merece uma distância. E acredite, mas “Paixão Proibida” me decepcionou imensamente. Aguarde um texto.

    ♦Luis concordo!

    ♦Pedro “ignorance is bliss”.

    ♦William más escolhas apenas, rsrsrsrs. Mas o meu próximo texto é de um filme que me agradou imensamente.

  13. […] 12.Onde Tudo Acontece (John Cosgrove) ♦ […]


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Categorias

%d bloggers like this: