Publicado por: Wally | Sexta-feira, Julho 18, 2008

Rambo IV


E o sangue semeou a tela

Na Tailândia, um John Rambo mais velho e desgastado se vê na obrigação solidária de ajudar um grupo de mercenarários com o intuito de salvar missionários cristãos seqüestrados pelos soldados de uma Burma assolada pela pós-guerra.

Vou admitir com distintiva clareza: não sou fã de Rambo. Ao contrário de muitos, não considero sua saga uma muito memorável e é um personagem que iniciou sua carreira no cinema de uma forma exemplar, como um ser tri-dimensional excepcional, mas logo foi se tornando vítima da futilidade e suas seguintes aventuras cinematográficas renderam bocejos, caindo no lugar comum. Ao contrário de Rocky Balboa, um personagem forte de Stallone que se manteve duradouro mesmo com alguns filmes fracos no meio do caminho, recebendo uma despedida admirável ano passado, Rambo foi se tornando é bobo e a imagem de Stallone empregada à ele foi se tornando caricata e terrívelmente esteriótipada. Isso infelizmente continua nesse seu último filme que, apesar de mais vivo que os episódios dois e três, igualmente cai na mesmice ao não possuir alma própria ou um texto ao menos plausível. Tudo parece jogado na tela, muito como o sangue jorrando sem muito pretexto. O filme, por isso, decepciona.

A tal quantidade de sangue inclusa no filme é surpreendente. Parece que definitivamente entramos em algum episódio de “Jogos Mortais” e John Rambo se tornou amigo íntimo do Jigsaw. Por um lado, admirável porque traz algo de novo à serie, que começou a morrer a partir do momento que fizeram uma seqüência  do valioso primeiro capítulo de uma forma sem criatividade. Sangue então, refrescou. Mas tal sangue, também, incomodou. Usado de maneiras extremas, o filme é tripas, braços, cabeças e sangue para todos os lados possíveis (e impossíveis). O utilizo desse técnica é bem empregada pela equipe técnica eficiente, e a maquiagem é boa, mas chega a um ponto onde tudo se torna um baita de um exagero. Não temos pretexto, e tudo começa a soar extremamente gratuito. Ou seja, o que começa real e intrigante logo se transforma no desgosto e no lugar comum, visto que assim que a ação começa, não termina até o fim, cansando com sua tremenda falta de criatividade (ou motivação emocional).

A intenção de Stallone foi a de, obviamente, se depedir do personagem, como fez de uma forma louvável (e com emoção) com Rocky Balboa. Aqui não tem emoção, não existe nostálgia e você não se interessa muito pelo destino do destemido herói, que aqui surge como um brutamonte sem personalidade. São falhas imperdoáveis porque evitam que nos tornamos mais próximos dele, algo fundamental para o desenrolar da narrativa, que acaba se transformando em algo tão fino e ausente, que chega a um ponto onde é bastante perceptível a falta de um roteiro e a fatal falta de idéias. Stallone então, dirigiu pensando apenas na satisfação do público sedentos por sangue e pancadaria, mas às vezes (para não dizer sempre) é necessário algo mais. “Rambo IV” pode entreter e isso será fácil. O filme chega muito perto de ser um divertimento banal culposo, até, claro, você perceber a futilidade de tudo, e sim, a mediocridade tremenda de um filme sem foco, interesse e completamente frio.

Como ator, Stallone aparece fazendo cara de mal e beiçinho, atirando e esfaqueando, pouco se lixando para autênticidade. Com certeza não o que vimos ano passado. Mas também, seu personagem conseguiu se tornar extremamente bobo, e nesse filme ainda temos uma penca de outros idiotas. Muito mal escritos, os personagens apresentados a nós são rasos e superficiais, cometendo escolhas absurdas que vão além do bom senso. “Rambo IV” é daquele típo de filme onde você é obrigado a dizer aquilo que eu sempre condeno: “Só em filme mesmo.”. Mas as coisas aqui são tão deslocadas e pobres, que não se pode dizer outra coisa. O filme é extremamente bobo, descartável e nem um pouco recomfortante. Além de tudo, é triste ver o que um personagem com tanto potêncial se transformou. É recomendável para quem gostou de todos os filmes anteriores e não se importa com o fato de não existir roteiro contanto que tenha ação. Ação tem de sobra. Adrenalina à mil. Uma pena que achei tão difícil me envolver nesse clima de entretenimento, estando ocupado demais horrorizado com os limites e os defeitos da obra.

Rambo •2008•
Direção:
Sylvester Stallone
Roteiro: Art Monterastelli, Sylvester Stallone, baseado nos personagens criados por David Morrell
Elenco: Sylvester Stallone, Julie Benz, Matthew Marsden, Graham McTavish, Jake La Botz, Paul Schulze, Reynaldo Gallegos, Tim Kang, Maung Maung Khin
[Ação, 91 minutos]


Responses

  1. Wally, nunca vi nada de Rambo em toda a minha vida (talvez tenha visto metade do segundo filme uma vez na TV), por isso não tenho interesse algum nesse quarto capítulo da série, até porque já bastou o Stallone velho de “Rocky Balboa”. Não fiquei mais interessado depois de seus comentários…

    Abraço!

  2. Vou passar longe desse Rambo… se Rocky Balboa foi péssimo, estragando mais ainda uma série de filmes do qual eu sou fã, principalmente os 3 primeiros.. imagine Rambo.. rsrsrs

    vlws

  3. gente eu sempre odieo Ramboo! odiei mesmooo. nao gosto de nenhum ds filmes dessa cara e esse foi aff

  4. Esse é um filme que não diz nada. E as cenas de genocídio nem são boas.

    Abraço!!

  5. Rambo … eca … prefiro o Cobra …
    Se você me dê esse filme de graça nem assisto …
    o primeiro foi bom e pronto …

  6. Putz, não sei se tenho estomago pra ver. Odiei o 1º, quando ele era novo e achavamos que o filme tinha algo a apresentar.

  7. Wally, acho que o fato de você não gostar do personagem e dos filmes da série foram fundamentais para você não ter gostado de “Rambo IV”. Stallone ofereceu, neste filme, aquilo que seus fãs queriam. Acho que foi, por isso, que achei “Rambo IV” até assistível.

    Bom final de semana!

  8. Preciso confessar uma coisa: nunca assisti a nenhum filme da série Rambo!! Um dos meus pecados cinematograficos…
    Abraço!

  9. Hehehe… Ainda não vi o filme, mas pelo trailer já dava para ver que seria assim. Tem uma cena dele cortando um pescoço que é totalmente exagerada. A verdade é que ainda não tive coragem de ver.
    Diferente de você, achei Rocky Balboa muito ruim…
    Beijocas

  10. Rambo? Stallone sempre foi estranho pra mim e confesso ter certo preconceito contra ele. Mas ainda irei ver tanto os Rambo’s quando os Rocky’s. Um dia!

  11. Bom, nunca tive muito interesse por Rambo, então nem fiz questão de ver esse, mas se um dia passar na TV, quem sabe eu assista …

    Abraço
    Mateus

  12. ♦Vinicius não recomendo o filme, principalmente para alguém que não conhece o herói.

    ♦Sérgio se não gostou de “Rocky Balboa”, que considero bom, fique longe desse “Rambo IV”.

    ♦Lucas calma, rsrsrs. Realmente o filme é bem fraco.

    ♦Pedro o filme é mesmo nulo! Mas ainda achei algumas cenas de genocídio boas, que tornaram o filme acima da tragédia.

    ♦João Paulo ainda não vi “Cobra”. E realmente, o único Rambo que prestou foi o primeiro.

    ♦Isabela eu gostei apenas do primeiro. Se você não gostou dele, passe a certa distância desse filme.

    ♦Kamila entendo sua visão. O único Rambo que me agradou foi mesmo o primeiro. De resto: pura futilidade.

    ♦Louis não é bem um pecado, visto que não são tão bons assim. O primeiro vale a pena, sem dúvida. Mas o resto…bem duvidoso.

    ♦Cecíclia como disse acima para o colega, quem não gostou da volta dada em “Rocky Balboa”, da qual gostei, devará passar muito longe mesmo desse “Rambo IV”.

    ♦Robson confesso que não gostava de Stallone até ver “Rocky”. Ele se revelou competente na série como ator e em vezes até como diretor e roteirista. Pena que os episódios IV e V sejam tão decepcionantes. Agora, Rambo (e Stallone) me agradaram no primeiro e só.

    ♦Mateus a exibição na TV é o melhor decompromisso possível para encarar o filme. Quem saiba, até soe mais assistível…

  13. Acho que Stallone quis elevar a violência ao extremo para chocar mesmo, fazendo um paralelo com que o está realmente acontecendo na Birmânia. Considero apenas o primeiro filme com muito bom, os outros são apenas para quem curte o gênero e bem violentos por sinal.

  14. ♦Hugo realmente apenas o primeiro merece maior atenção. Os demais são descartáveis. Acho que se o intuito de Stallone tenha sido esse, ele fez de uma forma muito rasa e sem inspiração.

  15. Gostei da fita, foi bom.

  16. ♦Hypado não tive essa mesma sorte.

  17. como filme de ação é bom, mas concordo que deixa a desejar em alguns pontos.

    Wendell Borges

  18. ♦Wendell pode ter muita ação, mas não vi muita coisa boa. Realmente deixa a desejar.


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Categorias

%d bloggers like this: