Publicado por: Wally | Domingo, Junho 15, 2008

Homem de Ferro


Admirável mundo novo

Tony Stark é bem sucedido e poderoso, como um industrialista que arma os Estados Unidos. No lançamento de sua mais nova arma letal, em território estrangeiro, ele é capturado e forçado a construir uma réplica. No entanto, Stark decide construir é um traje de ferro protetor para se salvar. A realização o faz ter um desejo de redenção, e logo usa sua tecnologia para ajudar o mundo.

Eis aqui um filme que não poderia ter sido feito há uns 10 anos. Se tivesse, provavelmente não estaria tão polido, tão visualmente contundente, e com toda certeza perderia toda a sua urgência. O que ajuda Iron Man a ser um filme tão bom é quanto ele é atual, o quanto possui urgência e usa de alta tecnologia para arquitetar uma história divertida e sedutora, ao mesmo tempo que faz um ótimo utilizo de seus efeitos especiais bombásticos, nunca exagerando na dose. O impressionante blockbuster de Jon Favreau é também um sopro admirável no gênero. Poucos filmes de super-heróis ousam a ponto de criarem paralelos virtuosos sobre a realidade atual, e ainda arquitetar uma possível realidade paralela, oferecendo a resposta para tantos problemas políticos e bélicos que rondam, em especial, os Estados Unidos e seus “inimigos”. O personagem de Stark é o de um típico americano rico lucrando em cima das desgraças do efeito do poder bélico dos Estados Unidos, que nesse caso é impulsionado justamente por Stark e sua inteligência tecnológia. É refrescante também encontrar em Tony Stark um sujeito completamente atípico, seja em seu modo de viver ou em como encara seu dom.

Stark é o propulsor do longa. Afinal, em um filme cujo super-herói usa uma armadura de ferro que não demonstra um pingo de emoção, o modo de cativar a audiência seria investindo no personagem antes da transformação. E é aí que Robert Downey Jr. entra e faz sua magia. Charmoso, carismático, sarcástico e extremamente divertido, Downey Jr. é a alma do filme de Favreau e demonstra, aqui, porque é um ator tão experiente e tão bom no que faz, ecoando o talento exibindo ano passado, quando despontou com pelo menos três papeis excelentes. O seu Stark é completamente cativante, entrega diálogos primorosos e o filme, grande parte graças a ele, é um muito bem humorado, se tornando efficiente no quesito fazer rir. Então nos simpatizamos por Stark e admiramos a sua grande realização sobre o qual é seu destino. O  admirável é que o filme nunca cai no melodrama e não tem o intuito de entregar lições de moral. O filme possui sua urgência construindo sua história de uma forma que entretem. Eles não querem transformar Stark em santo, e não querem mudar a opinião de ninguém ou emocionar. O intuito do filme, além de poderoso entretenimento, é oferecer um plano de fundo atual e urgente, ao mesmo tempo que construir uma realidade autêntica para um personagem tão fantasioso.

Por isso é de impressionar o quanto o filme seguiu nos passos de Batman Begins para arquitetar um passado plausível para o personagem, uma motivação fantástica para sua transformação e com isso, torná-lo um personagem completamente aceitável e memorável. Isto não ocorre porque quando ele usa a armadura ele arrebenta tudo e salva o mundo, mas porque existe alguém dentro daquela armadura, e Tony Stark, além de totalmente humano, possui caracerísticas empregada a eles raras em filmes do gênero. Somos então conquistados por elementos muitas vezes subestimados por cineastas que realizam filmes ocos de apenas ação descrebrada. O filme de Favreau tem textura, estilo, significado, alma e é muito, muito cool. Não consigo resistir ao charme infalível do protagonista e seus diálogos, sua relação amorosa discreta e quase transparente com Pepper Potts, que ganha ainda mais charme com a atuação singela e conquistadora de Gwyneth Paltrow, e o vilão ótimo criado por Jeff Bridges. Seu Obadiah Stane é completamente plausível e autêntico, graças à diversão e paixão do ator ao construi-lo e a forma habilidosa com a qual o roteiro vai moldando seu destino.

O embate entre o Homem de Ferro e o “Iron Monger” quando ainda estão despidos de armadura já inicia-se memorável e competente e só ganha na adição das ferramentas ação ótima e um senso de entretenimento ainda mais grandioso e oportuno. É discutível que o clímax seja, na verdade, um pouco anti-clímax, mas ainda assim não perde o brilho e a desenvolutura, méritos da inspirada direção de Favreau e o roteiro que, quase sempre tendo algo a dizer, nunca cai na futilidade. O filme é, por isso, uma injeção saudável no gênero, informando, conquistando e entretendo, acima de tudo. A visão de Favreau é uma que fortalece o quanto a tecnologia destrói e o quanto ela pode, também, servir para o bem. Pelo menos ela serviu para deixar seu filme muito divertido e sensacionalmente belo nos aspectos visuais e principalmente sonoros. Ver Homem de Ferro nos cinemas é extremamente gratificante. Ver um blockbuster nos cinemas e ainda sair completamente maravilhado da sala é anda mais.

Iron Man [2008]
Direção:
Jon Favreau
Roteiro: Mark Fergus, Hawk Ostby, Art Marcum, Matt Holloway, baseado em personagens de Stan Lee, Don Heck, Larry Lieber, Jack Kirby
Elenco: Robert Downey Jr., Terrence Howard, Jeff Bridges, Gwyneth Paltrow, Leslie Bibb, Shaun Toub, Sayed Badreya, Clark Gregg
[Ação, 126 minutos]


Responses

  1. Eu adorei esse filme. O Jon Favreau surpreende ao arquitetar cenas de ação excelentes. Além disso, o diretor acertou bastante na escalação do seu elenco: Robert Downey Jr e Jeff Bridges dão show!!

    A Marvel, aliás, desde que virou uma produtora de filmes, tem acertado bastante.

  2. Uma grata surpresa! Eis um filme que resolvi assistir unica e exclusivamente por causa do Robert Downey Jr com quem simpatizo bastante e sai surpresa. Um filme agradavel, bom, com belas atuações, fiel a historia original e com uma trilha sonora ótima.

  3. Com certeza é um filme imperdivel e meu amigo Wally … não se esqueça … sou vidente rapaz …

    http://strangelovebloger.blogspot.com/2007/05/homem-aranha-iii.html

    olhe o ultimo paragráfo …
    recordar é viver …

  4. ♦Kamila concordo com tudo que disse. Mas preciso conferir “O Incrível Hulk” para decidir quanto a Marvel.

    ♦Isabela realmente foi uma surpresa, visto que eu esperava um fiasco. Todos seus atributos ao filme foram sensatos.

    ♦João também o considero imperdível.

  5. Wally, adorei tbm esse filme.. excelente, acho que um dos melhores de adaptações de quadrinhos que já vi… a Marvel deu a volta por cima..
    abraços!!!

  6. Ah, obrigado pelas palavras no meu blog, Wally…

  7. Filme bem acima da média pra super-heróis, daquelas agradáveis surpresas que se têm ao ir ao cinema. Espero que se houver continuação, façam um tão interessante quanto este. O elenco salva uma metade do filme, e o roteiro e efeitos especiais a outra.
    Nota: 8,0
    Grande abraço, Wally!

  8. Jon Favreau não deixou a desejar nem um minuto nesse filme, ele é super bem feito e divertido, o que é melhor. Acho que não teve ator melhor pro papel de Stark, Robert Downey Jr. está fantástico no papel e mostra que voltou pra ficar! Que bom!!

  9. Só vejo coisas boas sobre esse filme, incrível =D Pena que não pude conferir ele nos cinemas, ia semana passada mas só tinha dublado =/ Vou esperar sair em DVD agora, espero que não demore.

  10. ♦Rodrigo também considero uma das melhores adaptações de quadrinhos. E por nada. ;)

    ♦Weiner também fiquei surpreso, pois eu inicialmente esperava um fiasco. E espero uma sequência tão boa ou melhor. E o elenco é o máximo mesmo.

    ♦Robson concordo plenamente!

    ♦Marcel veja sim! É uma pena que tenha perdido nos cinemas, pois é muito memorável sua estética, mas seria um desperdicio do elenco maravilhoso vê-lo dublado.

  11. É um dos melhores filmes do ano! Faço campanha para Robert Downey Jr. ser indicado a Melhor Ator. Filme de super-herói também é gente!

    Abs!

  12. Wally, como o senhor já deve supor, não acho o que o filme mereça nem metade dos seus elogios. Interessante a questão que você levantou no parágrafo sobre a tecnologia como ferramenta de construção e destruição das coisas ao nosso redor, mas se levantarmos essa questão em comparação com o próprio filme de Favreau ele é um fracasso lastimável, pois em nenhum momento me encantei com o “espetáculo” de ação. Fica para a próxima.

  13. Eaii. HAUHSDU! Entao esse filme eu vi quando estreou, mais nao me chamou a atençao nao, achei a história muito sem graça! nao sou muito fã do estilo!
    Agora eu estou querendo ver Fim dos Tempos que estreou na sexta, tu ja viu???

    Sobre Fringe, parece que o piloto ja está na net… eu acho que vou deixar para ver quando estrear mesmoo

  14. Wally, bela definição, Stark é propulsor do longa. Também gostei do filme, bastante.

    Abraço!

  15. ♦Otavio concordo, muito bom! E Downey Jr. é genial. Mas se foi esquecido pelo brilhante desempenho em “Zodíaco”, imagina neste…

    ♦Alex que pena que não conseguiu se divertir tanto com o filme. Eu sai incrívelmente satisfeito da sessão.

    ♦Lucas vi Fim dos Tempos e achei ok, um filme bom mas nada demais. E Fringe promete.

    ♦Pedro obrigado. Stark é mesmo o núcleo e que bom que gostou!

  16. […] Filme Batman – O Cavaleiro das Trevas* Crepúsculo High School Musical 3 – Ano de Formatura Homem de Ferro Quem Quer Ser um […]


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Categorias

%d bloggers like this: