Publicado por: Wally | Segunda-feira, Maio 5, 2008

Penélope

Lançamento direto em DVD

No mundo sem maravilhas

 

Por uma maldição carregada por gerações na família, Penélope nasce com o nariz de um porco. Nascida em berço de ouro e de família importante, se torna alvo de publicidade e logo é excluída do mundo e da sociedade. Já mais velha, sofre com a busca de sua mãe por alguém que consiga ama-la não importando sua aparência.

Penélope foi criada em meio à uma história moralista e com o tom de fábula. O objetivo é consagrá-la como uma princesa amaldiçoada, como tantas das animações clássicas da Disney, e conseguir enviar uma bela mensagem ao fim. A mensagem é enviada, já que o infeliz tom moralista do filme nunca esgota, mas o tom de fábula ganha cinismo, mas não autênticidade. Falta magia para fazer com que este filme funcione. Em um longa acerca de maldições, feitiçeiros, princesas, feitiços e o inusitado, é preciso magia. Mas simplesmente não há. Talvez esse seja o maior defeito do filme, ao lado de sua constante previsibilidade. Infelizmente, ao ver Penélope, nunca pode-se esperar demais da próxima cena, visto que tudo soa extremamente batido. O desfecho não é exceção, terminando exatamente da forma como prevemos de início.

Mas todos sabemos que histórias convencionais podem funcionar se bem conduzidas, e Penélope quase chega lá, impossibilitada mesmo pela falta de autênticidade e magia. Possui, ao menos, momentos isolados bem inspirados por parte da direção, que cria uma estética agradável, e um ou outro momento cativante, tudo graças ao elenco charmoso, que transmite talvez a única magia possível de ser extraída do filme. Christina Ricci sempre me agradou, e apesar de seu papel bobinho e limitado, consegue encantar, indo além dos diálogos rasos e o superficialismo. Ainda temos um James McAvoy carismático e uma engraçada Catherine O’Hara, além de uma ponta estranha de Reese Witherspoon, que não teria feito falta.

O fato é que Penélope tinha tudo para se tornar uma fábula cínica e satírica situada no mundo de hoje, mas sucumbe para caminhos convencionais e moralistas, que acabam deixando o filme sem muita personalidade ou emoção. Infelizmente não é engraçado e uma vez ou outra proporciona sorrisos. Também não sentimos o romance, que deveria ser força principal. O par romântico possui mais tempo longe um do outro do que perto, e isso compromete. Não teria sido problema se conseguissem ao menos criar química. Mas, apesar de bons atores, não produzem nenhuma ligação palpável ou emocionante. Ou seja, o filme não faz rir e não encanta. Fica muito entre uma coisa e outra, em um deseqüilibrio total e desagradável.

Felizmente esse foi escolhido para lançamento direto em DVD. Alias, seu lançamento nos Estados Unidos foi extremamente limitado e passou muito despercebido. E com um elenco competente desses, não entendo. Talvez porque seja visível a falta de influência que o filme terá nas pessoas, graças à sua ineficiência. Como já disse, tinha tudo para funcionar, e em vestígios entre uma mancada e outra, um momento inspirado satisfatório. Mas simplesmente não o suficiente. Nesse estilo de filme, é mais recomendado “Uma Garota Encantada”, apesar de ser bem infantil, é mais satisfatório quando se diz satirizar e oferecer uma visão cínica de fábulas. Também se deixa cair no moralismo, mas apenas porque o roteiro pede e o público alvo também. Em Penélope, direcionado mais ao público juvenil e adulto, o moralismo ainda transparece, a previsibilidade incomoda altamente e a força emocional se encontra em estado vegetativo. Uma pena. Eu veria um agradável filme partindo dessa premissa. Mas as coisas não funcionaram e nem foram conduzidas como deveriam, principalmente porque o podre começou com o roteiro. O pobre do diretor que tentou remediar.

Penelope (2006)
Direção:
Mark Palansky
Roteiro: Leslie Caveny
Elenco: Christina Ricci, James McAvoy, Catherine O’Hara, Reese Witherspoon, Peter Dinklage, Richard E. Grant, Simon Woods
[Comédia, 104 minutos]

Hitman – Assassino 47 no Cine Pulp


Responses

  1. Já vi várias vezes o trailer desse filme, mas nunca fiquei empolgado em ve-lo.. vi até a Christina Ricci fazendo rpomoçãodo filme em alguns programas americanos, e nada… vi o trailer.. e nada de querer asssiti-lo… achava que o problema era em mim.. e pelo jeito já estava prevendo uma bomba… o que onfirma na sua resenha.. irei apssar longe, talvez o alugue nesse dias de promoção, hehe, alugue 3 pague 2 , algo do tipo, rs…
    gostava mais da Christina Ricci como a Wendy do Gasparzinho, rs
    abraços!!!

  2. Poxa, eu, ao contrario do Rodrigo, não sabia nada desse filme até ver seu post. E até que fiquei interessado, apesar do filme parecer bem ruim. É que eu me interesso bastante por esse tipo de história.

  3. E eu que estava com tanta vontade de assistir a este “Penélope”. Uma pena que falte magia ao filme já que isso é mesmo fundamental para que a gente acredite na trama.

    Realmente, o filme passou totalmente despercebido nos EUA e deveria ser o contrário, já que possui um elenco muito bom e a produção de Reese Witherspoon.

  4. Fiquei curioso em relação a esse filme especialmente por seu talentoso elenco, incluindo o McAvoy que nunca costuma errar e a Witherspoon como coadjuvante. Pelo jeito não deu certo, o que é uma pena, mas acho que irei ver em breve. Abraço!

  5. Estou me desiludindo a respeito desse filme. Segunda opinião mais ou menos que leio sobre filme. Vamos ver…

    Abraço, Wally.

  6. Puxa! Eu vi o trailer e fiquei morrendo de vontade de assistir. Chato saber que não funcionou. Quem sabe um dia eu vejo.

  7. Um filme legal e bonitinho, mas sem muita coisa. A historia é interessante com essa coisa de nao olhar só pela aparencia, mas é um filme bem sessão da tarde.

  8. Rodrigo, pode ser até um bom pedido para o DVD. Depende muito do seu humor também.

    Daniell, o filme não é de todo ruim, só achei bem fraquinho. Procure ver.

    Kamila, talvez você goste, mas achei fraquinho.

    Vinicius, veja e me fale. McAvoy está bem, mas ele o resto do elenco são as únicas verdadeiras virtudes do filme.

    Pedro, o filme é bem isso mesmo. Mais ou menos.

    Cecilia, veja sim, eu sou meio chato, rsrsrs.

    Isabela, isso, bonitinho mas sem muita coisa. A mensagem e o elenco são as únicas virtudes de verdade.

    Ciao!

  9. Ainda não vi o filme mas vi o trailer e o que me chamou a atençao não foi nem bem a historia mas sim a musica. A musica que toca no primeiro trailer. Por acaso tu não saberia me dizer qual é??


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Categorias

%d bloggers like this: