Publicado por: Wally | Sexta-feira, Fevereiro 15, 2008

Fido – O Mascote

fido.jpg
   Sociedade dos cidadões mortos

Depois que ocorre uma contaminação do planeta Terra, os mortos começam a tornar a “viver”, na forma de zumbis sedentos por sangue. Inicia-se, com isso, uma guerra entre humanos e zumbis. Até que descobrem que esses zumbis podem ser controlados. Cria-se uma coleira especial que os domestica. A partir disso, a raça humana (pelo menos a com dinheiro) começa a comprar zumbis, que servem como empregados. O garotinho Timmy, que nunca se deu bem com os vivos, encontrará em Fido, seu zumbi empregado, um grande amigo.

A história toda de como os zumbis foram de meros mortos-vivos assassinos para empregados de ricos e pessoas bem sucedidas é contada de uma forma ácida, bem humorada e extremamente original ao início do filme, em forma de um programa de televisão informativo, em preto e branco, algo que traz verossimilhança à história. O que se seque após isso é um divertido filme, com algumas ótimas sacadas, diálogos ácidos e críticas descontrolados atacando o consumismo, o patriotismo muitas vezes contestável e claro, o modo de vida americano. Até certo ponto vai muito bem. Pena que perde o controle em momentos e ao invés de construir mais idéias, cai no óbvio, enquanto exagera demais em certos aspectos.

fido2.jpgNo mais, é um filme realmente recomendável, que me lembrou um pouco Todo Mundo Quase Morto, uma comédia romantica com zumbis dirigida pelo genial Simon Pegg, um filme crítico e original, mesmo que bem superior à esse Fido. Potencial o longa tem, e percebemos isso desde o seu genial início (do qual já comentei) e alguns aspectos irreverentes e subversivos atacando o povo norte americano e seu modo de vida aparentemente perfeito. O diretor esperto Andrew Currie usa os zumbis como um reflexo da sociedade morta dos Estados Unidos, onde os seres deixam de produzir amor e deixam de viver para seguirem rotinas, manterem controle e auto-controle, e usar máscaras para esconder quem realmente são. Essa crítica funciona maravilhosamente. Como também alguns ácidos diálogos e situações bizarras que divertem muito, como as duas criançinhas que viram zumbis. Pena que toda essa genialidade se perde quando o roteiro fica indeciso demais quanto ao destino de seus personagens e da trama em sí.

Por esse motivo que acredito ter ocorrido certos exageros e cenas desnecessárias ao longo da projeção. Mas Currie nunca deixa o tom irreverente do filme diluir, e talvez por esse motivo tenha me agradado tanto. Não só me divertiu, mas me satisfez bastante com seu visual envolvente e seu elenco ótimo. Os zumbis ficaram ótimos por serem primeiramente originais e bem maquiados. Na verdade, são engraçadíssimos, produzindo um efeito excelente na audiencia. Também adimirei o elenco, que conta com Carrie-Anne Moss (muito boa), Dylan Baker e Tim Blake Nelson, em papéis bem humorados. Baker faz o pai desnaturado, covarde e irregular. Suas ações e seus sentimentos despertam um ódio na audiencia ao mesmo tempo que soam engraçados, já que refletem tão bem alguns cidadões da sociedade americana que se encontram no mesmo estado, preocupando mais com dinheiro e mantendo uma imagem para a família do que oferecer amor de verdade à ela.

O roteiro do filme ainda esconde uma surpresa divertida na construção do zumbi, que se revela sendo um ser que, apesar de morto, possui lembranças e manias de sua vida passada. Eles com isso se tornam metáforas ainda mais forte ao povo americano; mortos, mas ainda com esperanças, contanto que aprendam a resgatar valores e as coisas que fazem com que a vida fique bem mais agradável. Às vezes caindo no óbvio, em outras no exagero, uma coisa é certa: é um bom filme. Recomendável, com certeza será mais agradável no conforto de casa, mas nem por isso uma sessão de cinema deixe de ser divertida e satisfatória. Vale a pena pelos seus valores, contanto que se concentre mais neles e nem tanto nos defeitos da narrativa e da direção. É um bom lembrete do que um dia podemos vir a nos tornar, sem os cuidados necessários.

[Fido, 2006] Escrito e dirigido por Andrew Currie. Escrito por Dennis Heaton e Robert Chomiak. Com Carrie-Anne Moss, Billy Connolly, Dylan Baker, K’Sun Ray, Tim Blake Nelson e Henry Czermy. [Comédia, 91 minutos]

fido3.jpg


Responses

  1. Adoro esse filme! E sua crítica é ótima!

  2. Depois da sua crítica, devo assistir à Fido.

    Abraço!!!

  3. Que filme maluco! Onde é que posso encontrá-lo?

  4. Mas o que é isso? Juro que não conheço…

    Vi aí que vc assistiu A BRUXA DE BLAIR. Foi a primeira vez? O que achou?

    Abs!

  5. Um filme de comédia sobre zumbis??? Acho que eu vou gostar! :-)

    Bom final de semana!

  6. Bom, acho que, por vontade própia, dificilmente assistiria um filme meio “piada” sobre zumbis , mas sua crítica me deixou bastante animado a respeito. Pelo menos parece divertri a gente. A maquiagem é ótima, pelo que vi nas duas fotos.
    Abraço!

  7. Desculpe-me discordar, mas não há nada de errado com a narrativa e com a direção de Andrew Currie. “Fido – O Mascote” é uma comédia culta que, mesmo com o seu humor negro, não apela para nenhuma vulgaridade ou padrões para chamar a atenção. É um filme de uma premissa aparentemente bizarra que usa a simplicidade para arrancar risadas saborosas. Destaco o esplêndido desempenho de Carrie-Anne Moss, que firma-se como uma das melhores atrizes em atividade e, inevitavelmente, ao Billy Connolly que com um personagem de comandos limitados foi capaz de entregar um herói (ou vilão) mais carismático do ano passado.

  8. A proposta em si é muito bacana, mas a forma como é trabalhada é muito cansativa e até mesmo um tanto inesperada – certamente não é um filme tão recomendável para o público infantil, ao contrário do que aparenta. Gostei do trabalho de maquiagem e só.

    Abraço!

  9. Daniell, obrigado ;) , também me diverti muito vendo.

    Pedro, procure ver. Não é nenhuma oitava maravilha, mas é um bom e divertido filme.

    André, este ainda não chegou nas locadoras. Entrou nos cinemas ano passado mas chegou no circuito alternativo do meu estado só há algumas semanas atrás, quando o conferi. Procure em alguns cinemas, mas acredito que achará somente em DVD. Mas procure ver, é um bom filme. Ah, e bem-vindo ao Cine Vita. ;)

    Otavio, é um bom filme, vale a pena conhecer. E foi a primeira vez que vi A Bruxa de Blair sim. Não sei se é porque o vi sozinho e de noite…mas que filme assustador! Fiquei de cara, este realmente me deixou amedrontado e cheio de calafrios. Acho que a força dele está exatamente naquilo que não vemos, algo que pode vir a ser ainda mais assustador. E aquele final foi brilhante.

    Kamila, procure ver, é bem engraçado e divertido.

    Weiner, veja sim, é bem agradável. Já viu Todo Mundo Quase Morto? Se viu, gostou? Acho que quem gostar desse filme também gostará de Fido, apesar de ser um pouco inferior. E a maquiagem é ótima mesmo, pena que esqueci de mencionar no texto.

    Alex, concordo com esses pontos que voce levantou, mas não pude conter minha revolta contra algumas direções tomadas pelo roteiro e pela direção de Currie. Mas nem por isso deixei de admirar o resto do trabalho, que ficou ótimo.

    Vinicius, eu não achei cansativo. Acho que faz algumas escolhas falhas, mas no geral ficou bem genial. E realmente não é um filme para crianças, e a maquiagem é ótima mesmo.

    Ciao!

  10. Gosto de filmes de zumbis, assisti o filme achando que era comédia, acho que esqueci como rir. O filme não tem uma estória coerente que agrade o público, as situações não são engraçadas e sim ridículas. Quer assistir um bom filme de zumbi/comédia, assista todo mundo quase morto, xou.


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Categorias

%d bloggers like this: