Publicado por: Wally | Terça-feira, Outubro 30, 2007

Invasores

 

invasion22.jpgEles já estavam aqui

Após uma atividade paranormal de incidentes cercando meteóros e coisas caindo do céu, as pessoas de Washington começam a agir de formas extremamente peculiares. A psicóloga Carol Bennell logo percebe essa atividade incomum, principalmente nos seus pacientes e logo aprende que certas pessoas deixaram de ser pessoas. Carol e Ben, um médico, começam a investigar a origem do vírus alienígena que apodera das pessoas, as transformando em seres sem emoção ou propósito. O filho de Carol acaba sendo a última esperança do planeta.

Invasores é um refilmagem, de uma refilmagem de uma refilmagem, de um filme que foi beaseado em livro de Jack Finney. Desde 1956 os humanos se encontraram possuídos por seres alienígenas e mesmo que a intenção de coloca-los no século XXI seja interessante, acaba por se revelar extremamente desnecessária. Não tive a chance de conferir as outras refilmagens ou nem se quer o filme original, mas só por ser o quarto filme cercando o mesmo assunto, nota-se a falta de criatividade de Hollywood, como também o desespero. Invasores demorou muito para sair. Ficou pronto no final de 2006, mas insatisfeitos com o corte do diretor Hirschbiegel, o estúdio resolveu chamar os irmãos Wachowski (por trás de Matrix) para re-escrever e James McTeigue (V de Vingança) para dirigir novas cenas. O chato nisso tudo é que Oliver Hirschbiegel, que foi creditado como o único diretor, dirigiu aquele filme fantástico chamado A Queda! As Últimas Horas de Hitler. Por isso, dúvido muito que o corte de Oliver não tenha sido bom, aposto que ficou bem melhor que o tratamento superficial que fizeram por cima, mas as convenções hollywoodianas não podem ser quebradas, principalmente quando há tanto dinheiro em jogo e nomes importantes. É uma vergonha.

Invasores tem um clima correto, ritmo ágil, personagens dos quais aprendemos a apoiar e cenas de ação, suspense e drama que entretem. No meio de tudo isso porém, encontra se algo que alguém chamou de roteiro. Infelizmente, não posso dizer o mesmo. Enquanto eu tenha achado algumas cenas bem dirigidas e tensas, divertindo bem, cumprindo a promessa, tive o sentimento de que na maior parte das vezes nada tinha muito propósito a não ser correr, salvar a sí mesmo e depois salvar o mundo. É isso que a personagem de Nicole Kidman parece fazer pela projeção toda do filme, e fora um ou outro diálogo consistente, sua personagem foi bem vazia, mas Kidman tenta e pelo menos deixa ela emocionalmente e dramáticamente estável. O que faltou em Invasores, foi conteúdo e inteligência.

Em um mundo onde as pessoas estão deixando de ser pessoas, onde a promessa contida no filme Laranja Mecânica surge pelas mãos de alienígenas, é óbvio que encontre muita paranóia, tensão e desequilibrio na população. Não é exatamente o que acontece no filme. Fora algumas mulheres gritando, outras correndo e pessoas desesperadas tentando se salvar, não senti um impacto mais atenuado em relação à paranóia de se estar cercado constantemente por seres de outro planeta e pior – que invadiram as pessoas mais próximas de você. Mais importante ainda, porque esses seres chegaram? Porque queriam mudar o planeta? Porque eles se importam se o planeta sobreviverá à natureza humana de se auto-destruir? Tais questões nunca são levantadas e quando começam a sugir discussões e um tom político relevante, tudo é abrudptamente esquecido por uma cena de ação e fuga desnecessária.

Apesar de todos esses problemas execráveis durante toda a projeção, Invasores consegue sim divertir e eu teria recomendado o filme para uma sessão descompromissada, mas simplesmente não consegui segurar a decepção que foi o desfecho. Ignorando toda a complexidade que poderia ter sido a trama, deixando de lado a importância de seus personagens, o filme simplesmente queria terminar e para isso, colocaram um personagens coadjuvante pouco importante fazendo uma declaração tola sobre o futuro da raça humana após a invasão. O fato é que Invasores foi muito mal escrito e elaborado sem espertezas, deixando a aventura muito menos empolgante ou interessante. É uma viagem que pode vir a ser aproveitada pelos mais descompromissados, mas para aqueles que exigem conteúdo e consistência, que passem bem longe.

[The Invasion, 2007] de Oliver Hirschbiegel. com Nicole Kidman, Daniel Craig, Jeffrey Wright, Jeremy Northam, Jackson Bond e Veronica Cartwright [Ficção, 99 minutos]

invasion_133.jpg


Responses

  1. Coitadinha da Nicole Kidman…

  2. Coitadinha mesmo da Nicole. Ela precisa urgentemente de um sucesso na carreira dela. É incrível como uma atriz se perde completamente depois de conquistar o Oscar.

  3. Achei esse filme divertido, com um bom clima e aceitável ação. Porém, é muito bobinho para uma atriz com o potencial de Nicole Kidman.
    NOTA: 6.5

  4. Wally, desculpe-me pelo spoiler lá no Hollywoodiano…

  5. Fiquei bem ansioso por esse filme, mas agora que finalmente estreou por aqui não estou com tanta vontade de ver. Talvez dê uma chance por causa da Nicole, mas seu texto é desanimador – de qualquer forma, não deve ser tão ruim quanto parece…

    Abraço!

  6. […] Judi Dench (Notas Sobre um Escândalo), Olga Kurylenko (que não é só bonita) e Jeffrey Wright (Invasores). Todos os ingredientes para moldar então, um bom filme, e “Quantum of Solace” me […]


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Categorias

%d bloggers like this: