Publicado por: Wally | Sábado, Outubro 20, 2007

Os últimos vistos em DVD

clockwork_orange.jpgLaranja Mecânica 5 Stars

de Stanley Kubrick. com Malcolm McDowell, Patrick Magee, Michael Bates e Warren Clarke. Drama, 136 minutos. [A Clockwork Orange, 1971] ®

Foi preciso a segunda visita á este filme de Kubrick para poder chamá-lo – com orgulho e segurança – de uma das maiores obras-primas do cinema. Soberbo, original e vivo, é um filme nutrido pela grande música, imagens arrebatadoras, diáolgos puramente audaz e inventivos, personagens únicos, um roteiro impecávelmente construído e uma direção genuínamente poderosa e sensacional. Kubrick realiza uma especie de ficção completamente diferente de tudo que voce já viu. Primeiramente, explorando a natureza humana para a violencia, o sexo e a cultura, e logo depois, fazendo uma análise de como seria uma futura sociedade onde o humano seria despido de escolhas, enojado com elementos da natureza humana como os listados acima. Automaticamente, deixando de ser humano. Não só isso, mas faz uma dura crítica á sociedade, á alienação e a manipulação, principalmente do governo, da política. Forte e cru, tais discussões são transmitidas poderosamente por Kubrick, que nos deixa sem folego com brilhante música e um visual realmente vivo e reluzente. A atuação de Malcolm McDowell é outro ponto fortíssimo, numa performance realmente digna de aplausos.  No final das contas, Laranja Mecanica, como o próprio diretor, se torna cult nos dias de hoje e merecidamente. Capaz de provocar as mais diversas discussões, debates e tocando fundo na psicologia humana, é cinema essencial, do mais louvável, único e sensacional possível de ser feito. Bravo! Bravo! Encore! Indicado a 4 Oscar.

gladiator_ver3.jpgGladiador 4 Stars

de Ridley Scott. com Russell Crowe, Joaquin Phoenix, Connie Nielsen e Djimon Hounsou. Aventura, 155 minutos [Gladiator, 2000] ®

Sensacional entretenimento, Gladiador do excelente Ridley Scott é um forte, poderoso e feroz épico que envolve, entretém e fascina. É notável o fato de que poderia ter se tornado algo mais com um roteiro mais bem trabalhado, já que achei os personagens, em momentos, rasos. De qualquer forma, é difícil resistir à magia do filme. O elenco, surge, primeiramente, como um grande triunfo. Crowe é um de meus atores preferidos e apesar de seu papel em Gladiador estar longe de seu melhor, ainda é um trabalho louvável e ótimo, quem se destaca mesmo é Joaquin Phoenix, incrívelmente preso às emoções de seu personagem, que surge como mais interessante de todo o longa. Difícil resistir mesmo são as espectaculares cenas de ação, se passadas nas gigantescas arenas de Roma. Se Gladiador é verossímil ou não com a história, eu não poderei julgar, mas sei que Scott realizou um trabalho realmente admirável, cujo drama cativa e ação diverte. O visual maravilhoso ajuda na hora de conquistar a audiencia, com belíssima fotografia e cenários grandiosamente deslumbrantes. Um grande, épico e magnífico filme, cinema mais que satisfatório. Vencedor de 5 Oscar; Indicado a 7.

black_snake_moan_ver3.jpgEntre o Céu e o Inferno 3 Stars

de Craig Brewer. com Samuel L. Jackson, Christina Ricci, Justin Timberlake e S. Epatha Merkerson. Drama, 116 minutos [Black Snake Moan, 2006]

Acredito que esse longa admirávelmente ousado merecia figurar entre os lançados no cinema brasileiro. Infelizmente, pela sua falta de apelo com a nacionalidade – o longa fala sobre sexualidade e os blues – foi direto para DVD. Uma pena, pois se trata de um filme muito bom. Com certeza terá mais fama com as pessoas que amam os blues e curtem um estilo de cinema mais pop. Eu fico na segunda categoria, mas apesar da música não ser das minhas preferidas, o filme me cativou, talvez por tratar seus personagens bem com um competente roteiro, ou melhor ainda, por ser dirigido com estilo e audacidade por Brewer, que já havia me conquistado com o ainda superior No Ritmo de Um Sonho. Um fator forte em seu mais novo filme é a dupla de atores. Jackson está muito bem, mas é Ricci quem rouba a cena, eis uma atriz excelente e Timberlake não decepciona ao seu lado. Oscilando entre cenas de pura sensualidade, tensão e maestria e outras vazias, o filme acaba te cativando por capturar um estilo de cinema muitas vezes esquecido, e com isso, se tornando altamente espirituoso, numa caminhada viva e cativante sobre pecado, perdão e tudo que existe no meio de tudo isso. O longa trata o sexo sem banalidades e a religião e a música de forma extremamente admirável, por isso, aprovo e recomendo. Bom cinema, que merecia maior reconhecimento.

shrek_the_third_ver3.jpgShrek Terceiro 3 Stars

de Chris Miller. com as vozes originais de Mike Myers, Eddie Murphy, Cameron Diaz e Antonio Banderas. Animação, 92 minutos. [Shrek the Third, 2007] ®

Fiquei inquestionávelmente decepcionado com este Shrek, que chega como um exemplar extremamente fraco do ano ao lado da maestria e originalidade de Ratatouille, mas mais importante, uma longa caída desde a revelação contundente de Shrek em 2001, minha animação preferida e logo depois, em 2004, no também excelente Shrek 2. Shrek Terceiro diverte, mas também chega para acabar com toda a política shrekiana, da qual eu aprovava. Abolindo lições de moral baratas, cliches e personagens bobos, tal política empregava o incorreto, o original, o cinism e a genialidade e em Shrek Terceiro podemos ver um pouco disso, mas ao mesmo tempo, vemos muito pecados sendo cometidos. Fiquei triste com os momentos previsivéis, alguns personagens chatos e as lições baratas, mas uma coisa admirável é o visual, que realmente se revela sendo sensacional. Também adorei como a idéia dos filhos do Shrek e o peso em sua conciencia de ter que ser pai, se revelando uma sub-trama bem esperta. Muito momentos divertidos, piadas brilhantes, outras brochantes e uma trilha sonora impecável, realmente perfeita, que deixa muitos momentos muito mais interessantes e inspirados do que inicialmente soam. Vale a pena ver.

tiger_and_the_snow.jpgO Tigre e a Neve 2 Stars

de Roberto Benigni. com Roberto Benigni, Jean Reno, Nicoletta Braschi e Tom Waits. Drama, 114 minutos [La Tigre e la Neve, 2005]

Irritante e fraco, este pretensioso e óbvio filme de Roberto Benigni é cinema extremamente chato. Apesar de não se revelar uma completa tragédia, levando em conta as intenções do longa e o seu visual charmoso, fiquei indignado com a proeza de Benigni em ser um ator péssimo, um ridículo comediante e um ser incrívelmente inconveniente. Ele simplesmente não percebe que suas piadas não funcionam, seus maneirismos cansam e seu estilo se torna extremamente extravagante e tosco a certo ponto. A trama do filme também é muito tola e mal planejada, com uma péssima narrativa e cenas ridículas que cansam, e nunca satisfazem, como seria de Benigni esperar. Ele parece tão confiante de seu filme mas ele é – na verdade – tão fraco e chato que fico com muita pena dele e também com um grande desejo, que é de que ele perceba seus erros e nunca mais faça um filme. Ainda não vi A Vida é Bela, filme do qual lhe rendeu Oscar de ator e filme estrangeiro, mas desde já não espero muita coisa, pois o exemplo de O Tigre e a Neve é, no mínimo, medonho.

®: revisto


Responses

  1. “Laranja Mecânica” é, sem dúvida, um dos melhores filmes de todos os tempos. Um roteiro excelente, um uso perfeito da música, uma direção primorosa. E acho que o filme continua atual. Prova disso são seus “filhos”: “Clube da Luta” e “Oldboy”.

    “Gladiador” é um ótimo filme, mas acho-o meio superestimado. Especialmente com todos os prêmios que ganhou no Oscar.

    “Shrek Terceiro” foi uma das decepções do ano. É incrível como as terceiras partes decepcionaram no ano.

  2. “Laranja Mecânica” [9,5 *****] vi há muito tempo e não me lembro quase de nada, por isso preciso rever. Quanto aos demais:

    “Gladiador” [8,0 ****] é um ótimo filme para o gênero épico, mas concordo com a Kamila. Acho meio superestimado, não merecia sequer concorrer ao Oscar de melhor filme.

    “Entre o Céu e o Inferno” [7,5 ***] tem lá seus defeitos, mas sem dúvida é um bom cinema, como você disse.

    “Shrek Terceiro” [5,0 **] foi uma grande decepção sem graça, eu mesmo estou sem a mínima vontade de rever.

    “O Tigre e a Neve” [2,5 *] é outra enganação do maior blefe do cinema.

  3. Tb preciso rever Laranja Mecânica…não porquê faz muito tempo e não me lembro, mas pq é o tipo de obra que necessita de várias revisões para desfrutar por completo, ou quase, desse cinema magnífico!
    Shrek Terceiro é chato e bobo…
    Os outros ainda não vi!
    Abraço

  4. – Um amigo indiginado comigo já chegou a me chamar de “Viúvo do Kubrick”, mas porra! Olha só para o que foi feito em Laranja Mecânica e me diz se não é pra chamar um cara desse de referência incontestável do cinema? Apesar de não achar o melhor filme dele (tenho verdadeira adoração pelo ensaio sobre a origem da natureza humana criado em 2001), Laranja Mecânica é, sem duvidas, um trabalho genial sobre as máscaras da sociedade e o poder destruidor que o instinto vingativo tem.
    *****

    – Não consigo gostar de Gladiador. Acho um filme pretencioso, que se escora com força no visual, mais ainda assim consegue arrancar uma interpretação afinadíssima do Phoenix (como você mesmo disse).
    **

    – Black Snake Moan (Entre o Céu e o Inferno um caramba! ¬¬) foi uma das maiores surpresas que tive esse ano. E não foi apenas pela qualidade do filme, mas principalmente por conhecer uma atriz talentosa que se escondia por trás Ricci! Adoro blues e acho que por isso gostei ainda mais do filme.
    ****

    – Shrek 3 ajuda a compor a maldição do “número 3” e ainda não vi O Tigre e a Neve.

    Adorei seus textos!

  5. Vou contra a maré e não gosto tanto de Laranja Mecânica. Mas é bem interessante. NOTA: 8
    Gladiador é bem legal, mas não deveria ter sido tão premiado. NOTA: 8
    Shrek Terceiro é decepcionante, mas diverte. NOTA: 7.5

  6. Laranja Mecanica – Pra mim, é dificil tecer qualquer comentário, simplesmente pois é o melhor filme, do melhor diretor = melhor filme que já vi. Cada vez que boto ele pra rodar em casa, vejo uma nuance diferente, e me emociono só de falar nele.

    Gladiador – Filme fantástico, que talvez seja mal visto por muitos pela grandiosidade da produção, fazendo que com que caísse na masturbação visual que a midia imprime ao longa, tal qual ocorre com Titanic. Se Russel Crowe e Joaquin Phoeninx não atuaram bem nesse filme, entao nao sei mais oque significa interpretar.

    Entre o Céu e o Inferno – foi uma boa surpresa esse filme. E acho que se caísse nos cinemas brasileiros, nao seria muito bem recepcionado. Vejo nele uma coisa bem experimental, e em contra-partida exalta a “Vandinha” como jamais pensei ve-la.

  7. LARANJA MECÂNICA é uma obra-prima, cara! E gosto muito de GLADIADOR, que trouxe o Ridley Scott de volta ao cenário!

    Abs!


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Categorias

%d bloggers like this: