Publicado por: Wally | Sábado, Setembro 29, 2007

Os últimos vistos em DVD

beingjohnmalkovich_03.jpgQuero Ser John Malkovich 5 Stars

de Spike Jonze. com John Cusack, Cameron Diaz e Catherine Keener. Comédia, 112 minutos [1999] ®

Um dos filmes mais originais e brilhantes que já tive o prazer de assistir, o fantástico filme escrito com genialidade por Charlie Kaufman e dirigido espetacularmente por Spike Jonze explora além dos limites do cinema e ignora qualquer fronteira. Inventivo, inteligente e oferecendo prazer e satisfação com sua estranha e ao mesmo tempo, impressionante história, o longa te faz rir, te emociona, te cativa e te encanta, a todo momento. O elenco, incluindo uma performance excelente esquecida pelas premiações de John Cusack e coadjuvantes ótimas em Cameron Diaz e Catherine Keener, além de claro, John Malkovich, excepcional. Incluindo algumas das cenas mais marcantes do cinema contemporâneo capaz de levar qualquer pessoa sã à loucura, é um poderoso, emblemático e forte drama, com pitadas ricas de humor negro, personagens fascinantes e um roteiro impecável, do qual eu não mudaria um ponto ou virgula. Desde os diálogos, ás situações bizarras, á direção mais que perfeita de Jonze. Uma obra-prima irretocável e um dos longas que mais me marcou.

Indicado a 3 Oscar: Diretor. Roteiro Original. Atriz Coadjuvante (Catherine Keener)

zodiac.jpgZodíaco 5 Stars

de David Fincher. com Jake Gyllenhaal, Mark Ruffalo e Robert Downey Jr.. Policial, 158 minutos [2007] ®

Um filme habilidosamente arquitetado, Zodíaco é um fascinante e brilhante drama sobre a obsessão, e nem tanto sobre um assassino, como inicialmente poderíamos deduzir. O genial David Fincher tem aqui sua verdadeira obra-prima, em um filme não só verossímil e extremamente coerente com fatos e personagens, mas imensamente bem conduzido, dirigido com intensidade e maestria. Além da parte técnica impecável, incluindo belíssima fotografia e montagem perfeita, podemos encontrar um elenco no topo de seu jogo. Fica difícil decidir quem ficou melhor, Gyllenhaal, excepcional como de costume, Downey Jr. com uma caracterização genial ou Ruffalo, no melhor papel de sua carreira. Entretanto, é o roteiro magnificamente orquestrado, com diálogos afiados e movido com inteligência que realmente te cativa. Fincher consegue fazer 150 minutos passarem rápido, e melhor ainda, serem contundentes. O fato de contar uma história que vai além de puro sensacionalismo, não só focando no retrato pertubador de seu assassino, mas em como três homens perderam suas vidas na busca por ele, deixa o filme ainda mais interessante e satisfatório. Sem dúvida, imperdível e um dos melhores do ano.

singin_in_the_rain.jpgCantando na Chuva 5 Stars

de Stanley Donen e Gene Kelly. com Gene Kelly, Donald O’Connor e Debbie Reynolds. Musical, 103 minutos [1952] ®

Uma musical verdadeira contagiante e efficiente, é um de meus preferidos e um marco do cinema. É o verdadeiro filme feel good que não só te fazer sentir bem, mas o leva em uma jornada colorida, viva e contundente, repleta de números musicais memoráveis e danças exuberantes. Gene Kelly domina tudo extremamente bem, atrás e afrente das câmeras. A trama se revela divertida, engraçada e mesmo nos momentos românticos e dramáticos, extremamente bem humorada, mantendo o espírito em alta e nunca decepcionando. É assim como os musicais devem ser, experiências irresistíveis, com momentos geniais, ótimas idéias, visual conquistador e um elenco inesperdamente excepcional. Kelly se revela um ator charmoso e um diretor focado e inteligente. Grande filme, grande musical, grande cinema. Impossível não se divertir, ou esquece-lo. Uma visita não é o suficiente.

Indicado a 2 Oscar: Atriz Coadjuvante (Jean Hagen). Trilha Sonora (Musical).

652.jpgO Mágico de Oz 5 Stars

de Victor Fleming. com Judy Garland, Frank Morgan e Ray Bolger. Musical, 101 minutos [1939]

Um eterno clássico, decidi relaxar e ver esse filme por completo pela primeira vez e foi uma sessão mais que gratificante. O longa mais antigo que já conferi, Oz é também um dos filmes mais lembrados hoje em dia pela comunidade culta – vale lembrar que ele tem 68 anos. Ao ver o filme, é claro o porque de ser tão adorado. Repleto de canções contundentes, personagens cativantes, visual maravilhoso – que deve ser avaliado para os padrões da época, não os de hoje – e um elenco ótimo, é o filme de fantasia familiar perfeito, que toca em todas as notas certas para divertir e ainda esconde verdadeira densidade e relevância em seu roteiro. Consegue passar lições de moral com subjetividade, sem se tornar melancólico ou melodramático e parece sempre estar vivo e criativo. A trilha sonora é um grande triunfo, e o diretor dirige cada número impecávelmente, conquistando e entretendo a audiência até chegarmos ao clímax, magnífico em todos os sentidos imagináveis, afinal, não há lugar como nossa casa, e a forma como o longa discute a insegurança da nossa infância chega à um nível brilhante. Um filme para se admirar, para se glorificar e não parar de elogiar. Uma obra-prima.

Vencedor de 2 Oscar: Trilha Sonora Original. Canção Original. Indicado a 4 Oscar: Filme. Fotografia. Direção de Arte. Efeitos Especiais.

good_bye_lenin.jpgAdeus, Lênin 4 Stars

de Wolfgang Becker. com Daniel Bruhl, Katrin Saas e Chulpan Khamatova. Drama, 121 minutos [2003] 

Maravilhosamente contundente, este é um filme original e prazeroso, que não só te deixa com largos sorrisos no rosto por vários momentos, mas acaba por ter comover. A única falha que me incomodou no longa, foi não ter explorado certas intenções de seus personagens melhor, mas o diretor soube trabalha-los bem o suficiente para que nos importassemos com eles e isso é o que vale a pena. Repleto de referências, principalmente ao cinema de Stanley Kubrick (no total, encontrei três homenagens) o diretor é inventivo, ousado e o seu filme fica bem longe do convencional, além de divertir com sua trama inteligente e bem orquestrada, que inclui alguns momentos de puro brilhantismo. De humor, o filme tem bastante, mas é inegável que seu núcleo emocional seja o drama vívido por seus personagens. Habilidosamente, suas emoções são bem trabalhadas e é impossível não sentir por eles e ficar feliz ou triste por cada um ao término da sessão. Apesar de trágico em muitos momentos, incluindo em relação aos fatos históricos que tomam vida ao redor do enredo e a dor de alguns de seus personagens, o filme sabe fazer mudanças bem feitas entre tragédia e humor, e a felicidade também pode ser encontrada em seus personagens, como também espírito e agrado. Um excelente filme com boas performances e história forte o sufficiente para agradar, emocionar e satisfazer.

Indicado ao Globo de Ouro: Filme Estrangeiro

namesake_02.jpgNome de Família 4 Stars

de Mira Nair. com Kal Penn, Irfan Khan e Tabu. Drama, 122 minutos [2006] 

Eu ainda não conferi os primeiros filmes cultuados de Mira Nair, tendo a chance de conferir somente o bom Feira das Vaidades. Porém, após a sessão recompensadora de Nome de Família, fiquei mais que curioso para conferir sua filmografia. O seu belo filme, que retrata temas como adaptação e busca de origens, reune um número consideravelmente grande de valores e virtudes. Nair traça uma saga maravilhosa sobre duas gerações de uma família entrando em conflito após a saída da Índia, em busca da felicidade em Nova York. Fora o elenco maravilhoso, incluindo um inesperdamente competente Kal Penn, ator que protagonizou duas das grandes tragédias a estreiarem nos cinemas neste ano, o longa conta com uma boa parte técnica e visual, além de claros elementos valiosos no seu roteiro e no modo ousado e incomum de Nair conduzir uma história que de qualquer outra forma, soaria irregular. Nair, indiana e talentosa, utiliza de seus conhecimentos e de sua cultura para moldar esse belo filme sobre o valor de suas origens e a busca e valorização necessária desta. Recomendado.

forty_year_old_virgin_ver2.jpgO Virgem de 40 Anos 4 Stars

de Judd Apatow. com Steve Carrell, Catherine Keener e Paul Rudd. Comédia, 133 minutos [2005] ®

Judd Apatow é um cineasta promissor. No seu primeiro filme como diretor e roterista, Apatow pega o tema mais grosseiro possível e o transforma em uma engraçada, adorável e contagiante comédia. Não é todo mundo que conseguiria esse feito admirável. Apatow ainda ganha a ajuda mais que válida de Steve Carrell, tanto no roteiro, quanto no personagem principal, trazendo uma certa inocência necessária. Carrell alcança a perfeição no papel. Por tratar tão bem seu personagem título, nós acamos criando certo afeto por ele e sua jornada hilária e dramática até o “momento da verdade”, onde as piadas mais sujas não soam descomfortáveis e as relações entre o protagonista com seus amigos e sua namorada soam muito mais genuíno que muitos filmes sérios por aí. A versão “sem censura” em DVD possui alguns momentos desnecessários (foram 20 minutos a mais), pessoalmente, prefiro a versão dos cinemas. Enfim, uma inesperdamente efficiente e original comédia, ousada, querida e com momentos brilhantes de humor, romance e até mesmo um momento musical contundente ao desfecho.

spider_man_three.jpgHomem-Aranha 3 4 Stars

de Sam Raimi. com Tobery Maguire, Kirsten Dunst e James Franco. Aventura, 140 minutos [2007] ® 

No primeiro fomos introduzidos á vida de Peter Parker e foi o momento onde se consolidou como herói. No segundo, teve sua crise de indentidade e sua grande revelação com Mary Jane. Nesse terceiro filme, onde tudo parece ir bem, Parker perde sua identidade, mas deixa de ser uma crise em relação à sua escolha de ser Peter ou Homem-Aranha, para se tornar uma luta entre o bem e o mal que existe dentro dele mesmo, da qual será vencida somente se ele fizer as escolhas certas. Apesar de extremamente inferior e decepcionante em relação à perfeição do segundo filme, a trilogia ganha um bom e admirável desfecho aqui, onde assuntos interessantes são tratados com competência, apesar de vários defeitos, para quem prestar atenção, há coisas que merecem ser apreciadas aqui. Quando digo isso, não falo só do fato de ter um visual impecável, além de trilha e excelentes atuações, mas por Raimi tocar em certos temas de forma muito relevante, só pecando na hora de entregar respostas fáceis e cercando a estrutura da nova aventura, que poderia ter sofrido certos cortes, recebendo uma duração menor. Fiquei feliz com o resultado, vibrei com a maioria dos momentos e uma coisa que muitos reclamam eu não importo. O momento onde Peter fica “malvado” foi bem orquestrado, pois, ao invés do longa fazer algo sombrio e desnecessário, tomou um rumo engraçado e divertido. Boa escolha, como muitas outras. Ótimo entretenimento.

provoked.jpgProvoked – Desejo de Liberdade 2 Stars

de Jag Mundhra. com Aishwarya Rai, Miranda Richardson e Naveen Andrews. Drama, 113 minutos [2006]

Apesar de bem intencionado, abraçando temas importantes e interessantes, a falta de estrutura dramática e autêntica de Provoked o danifica bastante. Não é só a parte técnica pobre que decepciona, ou até mesmo o fraco elenco, mas sim, a forma inapropriada com a qual o diretor aborda certos momentos, seja na colocação de sua câmera, na falta de administração e montagem dos flashbacks ou na pouca profundidade da narrativa. O roteiro introduz discussões muito interessantes e algumas caracterizações competentes, mas iqualmente decepciona, tanto na estrutura, quanto no desenvolvimento. Trilha ruim, montagem ruim e nem mesmo a protagonista, Naveen Andrews ou Robbie Coltrane (só Miranda Richardson se salva) conseguem introduzir algo satisfatório à sessão. O filme terminou acreditando em sua importância, mas falhou ao me convencer que é. Eu me importei com a personagem e seus sentimentos, mas não acreditei nela e a superficialidade do longa irritante não ajuda nesse aspecto. Inegável que poderia ter sido melhor, apesar de escapar da tragédia, ainda é uma sessão bem insatisfatória e que não fez jus á história importante de sua personagem principal e os dilemas de milhares de mulheres que sofrem de abuso domêstico e injustiças. Mereciam algo melhor.

sharkbait_01.jpgO Mar Não Esta Pra Peixe 1 Star

de Howard E. Baker e John Fox. com as vozes de Freddie Prinze Jr., Rob Schneider e Evan Rachel Wood. Animação, 77 minutos [2006] 

Eis aqui uma deplorável animação que ultrapassa os limites do aceitável. Poderia até ter funcionado, mesmo com seu visual pobre e seus personagens flácidos, dublagens decepcionantes do elenco e um fraquíssimo enredo. É uma animação que pode vir a divertir muito de seu público alvo. Porém, é inevitável perceber o fato de que é uma cópia descarada de todas as animações que já se passaram por debaixa d’água. Deixam de ser apenas referências para se tornarem parte do roteiro e da história, péssimamente construido por sinal. Procurando Nemo é a maior vítima, mas O Espanta Tubarões sofre iqualmente. A falta de identidade da animação é apenas um de seus graves problemas, ainda posso apontar o fato de que possui 71 cansativos minutos (!) e humor fraquíssimo e desagradável. O longa é risível por ser mediocre, tolo, idiota e besta. Sinceramente, me sentiria culpado ao indicar esta animação à uma criança, pois seria mais certo valorizar a fonte, o maravilhoso Procurando Nemo.

®: revisto


Responses

  1. [Quero Ser John Malkovich]
    Apesar de eu não ser amirador do Charlie Kaufman, gostei bastante desse filme, que nunca se perde em sua intelectualidade. Gostei bastante também das interpretações de Catherine Keener e Cameron Diaz.
    NOTA: 7.5

    [Zodíaco]
    Um filme que tem estrutura convencional, mas que se sobressair por ter sido feito por uma equipe extremamente competente, que vai desde a direção até o ótimo elenco.
    NOTA: 8.0

    [Adeus, Lênin!]
    Por ser uma comédia dramática, já devia me conquistar, mas o filme me dominou completamente. Fui emocionado pela narrativa melancólica, pelo ótimo roteiro e pelos competentes atores. Injustamente não concorreu ao Oscar (que merecia ganhar).
    NOTA: 9.0

    [O Virgem de 40 Anos]
    Sou daqueles que discorda da grande maioria quanto esse filme. Achei grosseiro e sem graça. Se existe um motivo para vê-lo é o casal Steve Carell e Catherine Keener.
    NOTA: 6.0

    [Homem Aranha 3]
    A maior parte dos cinéfilos aponta Homem Aranha 3 como um grande desastre. Discordo. Apesar de cheio de falhas imperdoáveis, fica muito distante da desgraça. Muitos aspectos merecem ser valorizados nesse filme, que também tem seus bons momentos.
    NOTA: 7.0

  2. Quero Ser John Malkovich, junto com “Adaptação”, são os meus filmes favoritos escritos pelo Charlie Kaufman. Estranhos e originais.

    Discordo profundamente do que você disse sobre “Zodíaco”. Assisti ao filme hoje e acho que o grande problema dele é a trama cheia de pulos no tempo, com personagens aparecendo e sumindo o tempo todo. As transições entre os pulos de tempo tornam difíceis a retomada de onde a história tinha parado. Posso dizer que “Zodíaco” foi uma decepção para mim.

    “Cantando na Chuva” é um musical clássico, com todos os elementos da era de ouro do gênero. Adoro esse filme.

    “Mágico de Oz” é um dos meus filmes favoritos. Já assisti umas mil vezes. E aconselho que todos assistam porque, a cada nova visita, o filme nos causa uma sensação única.

    “Adeus Lênin” é um filme belíssimo. Adoro também.

    AMO “O Virgem de 40 Anos” e acho que a Catherine Keener salva o filme de virar um besteirol. Adoro as cenas entre ela e o Steve Carell.

    “Homem-Aranha 3” foi outra decepção. Odeio as cenas com o Peter Parker emo.

  3. Comentários dos filmes que já vi:

    8.0 [****] QUERO SER JOHN MALKOVICH: acho que o maior destaque aqui é o roteiro, mesmo não sendo o melhor trabalho do Kaufman. Adorei o elenco e a direção do Jonze, mas preciso rever.

    9.0 [*****] ZODÍACO: Grande filme! O segundo melhor do ano até o momento, só perdendo para “Ratatouille”. Na minha lista anual, deve ser de longe o campeão de indicações.

    10 [*****] CANTANDO NA CHUVA: Excelente musical, o melhor que já vi (ao lado de “Moulin Rouge”). Como você falou, impossível não se sentir bem com esse filme, realmente uma obra-prima que merece várias visitas.

    8.0 [****] O MÁGICO DE OZ: Talvez seja um pouco bobo o que vou falar, mas achei infantil demais (não que isso seja ruim, apenas não me encanto mais com esse tipo de fita, a não ser que apresente algum diferencial). Ainda assim pode ser considerado um clássico.

    8.5 [****] ADEUS, LÊNIN!: Apesar de uma ou outra situação ser decepcionante, é um filme com excelentes soluções quanto ao roteiro, tratando de um tema difícil de forma contundente e emocionante. Um dos meus estrangeiros preferidos.

    8.0 [****] Também não vi outros trabalhos da Nair, mas gostei muito desse. Não é um filme com grandes “reviravoltas”, é apenas um retrato sobre determinado assunto muito bem contado.

    8.5 [****] O VIRGEM DE 40 ANOS: Ótima comédia, adoro o Carell. A Catherine Keener está extremamente bem, merecia ao menos indicação ao Oscar, assim como o roteiro.

    7.5 [***] HOMEM-ARANHA 3: Apesar de decepcionante, é melhor do que uma dúzia de adaptações de quadrinhos para o cinema.

    3.0 [***] O MAR NÃO ESTÁ PRÁ PEIXE: Como dito, é mesmo uma animação deplorável, tanto em termos de narrativa como de técnica. Realmente muito cansativo, pensei até em desistir de ver (mesmo sendo tão curto).

    Puxa, só faltou 1 filme para 100% ;)


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Categorias

%d bloggers like this: